Vale e Corpo de Bombeiros assinam convênio para implantação de Planos de Contingência

Convênio prevê o investimento de mais de R$ 8 milhões em treinamentos das equipes e no suporte de uma consultoria especializada para a construção de planos de resposta integrados, beneficiando os municípios de Parauapebas, Curionópolis, Marabá, Canaã dos Carajás, Ourilândia do Norte, Tucumã e São Felix do Xingu
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O Corpo de Bombeiros Militar e a Vale firmaram um convênio de cooperação técnica e financeira. O convênio estabelecido prevê o investimento de R$ 8,7 milhões em treinamentos das equipes e no suporte de uma consultoria especializada para a construção de planos de resposta integrados, que qualificarão a Defesa Civil e os demais órgãos envolvidos para o atendimento de qualquer situação de emergência nos municípios.

Através de uma audiência on-line realizada na última semana, a mineradora e o Corpo de Bombeiros Militar apresentaram termo de cooperação. Esses planos são os chamados Planos de Contingência que, conforme a legislação, devem ser elaborados pelos municípios e envolvem o mapeamento de situações passíveis de ocorrer nas localidades, como incêndios de grandes proporções, inundações, desmoronamentos e vazamentos de produtos perigosos.

Segundo o gerente de Desenvolvimento Territorial da Vale, Frederico Baião, esse é um pacto importante de segurança para toda a sociedade.  “O acordo da Vale com o Corpo de Bombeiros Militar visa garantir a atuação precisa das Defesas Civis na proteção das comunidades paraenses, estabelecendo um pacto importante de segurança com toda a sociedade”, destaca Frederico Baião.

Segundo o último levantamento da Divisão de Apoio Comunitário da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (CEDEC), nenhum dos 144 municípios do Pará conta atualmente com o Plano de Contingência elaborado em sua totalidade. A partir do convênio, os municípios de Parauapebas, Curionópolis, Marabá, Canaã dos Carajás, Ourilândia do Norte, Tucumã e São Felix do Xingu receberão o apoio para a elaboração dos planos de contingência, visando aprimorar ainda mais a atuação em proteção das comunidades.

Pelo Termo de Cooperação, a Vale também irá disponibilizar uma plataforma de ensino à distância para que a CEDEC realize treinamentos específicos aos militares e agentes das coordenadorias municipais de Defesa Civil. “Estamos oficializando uma parceria que vem acontecendo há muito tempo. Com esse termo, conseguiremos capacitar e atualizar a atuação das Defesas Civis Municipais, ampliando o bom atendimento para a população paraense que depende do nosso trabalho”, celebra a coordenadora-adjunta de Defesa Civil do estado, tenente-coronel Ciléa Mesquita.

Segundo a Vale, o Termo de Cooperação está previsto para ser colocado em prática a partir de 2021. No Pará, as Defesas Civis Municipais também estão acompanhando a execução dos Planos de Ação de Emergência de Barragem (PAEBM) da Vale.

(Tina Santos- com informações da Vale)