Uepa será construída por quase R$ 400 mil abaixo do valor orçado

Licitação, que se envolveu em vários imbróglios, com candidata que até colocou município no pau, teve final feliz para cofres públicos. Desfecho saiu no Diário Oficial da União desta sexta.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Chegou ao fim a novela da licitação da primeira etapa do campus da Universidade do Estado do Pará (Uepa), cuja sede será vizinha da sede da Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), na saída da área urbana de Parauapebas, sentido a Curionópolis. A empresa White Tratores Serviços de Terraplanagem venceu a concorrência ao oferecer R$ 17,938 milhões para fazer o serviço, que deve se estender por, ao menos, dois anos. A informação foi, enfim, publicada na edição desta sexta-feira (5) do Diário Oficial da União (DOU).

O valor inicialmente orçado pela Prefeitura de Parauapebas para a obra foi R$ 18,321 milhões, logo, o desfecho da licitação proporciona economia de R$ 383 mil aos cofres do município. As informações foram levantadas com exclusividade pelo Blog do Zé Dudu, que acompanha o processo licitatório desse que é um dos equipamentos públicos mais aguardados da história de Parauapebas, tendo em vista que as movimentações para trazer o campus da Uepa à Capital do Minério foram iniciadas em 2008, portanto, há 13 anos, ainda no primeiro mandato do prefeito Darci Lermen.

Só agora, mais de uma década após, a Uepa está chegando com cursos de graduação, pós-graduação e, em breve, terá sede própria por meio da união de esforços entre governos municipal e estadual e, também, da mineradora multinacional Vale, que é quem destinou os recursos para que a construção do prédio fosse possível.

Confusão nos bastidores

O atual processo de licitação do campus da Uepa — atual porque, noutros momentos, houve outras tentativas fracassadas — começou em junho do ano passado e foi marcado por paralisações diversas. Inclusive, acabou nos tribunais. Uma das empresas que pleiteavam o contrato milionário, a CHR Edificações, foi inabilitada durante o processo de julgamento da documentação por ter descumprido itens do edital.

Revoltada, a CHR resolveu colocar o certame “no pau”, o que levou à suspensão do processo. De uma hora para outra, o município de Parauapebas, maior interessado no campus, acabou se tornando parte em um processo, que, no entanto, não avançou. A CHR Edificações recuou da queda de braço, e a justiça liberou o andamento da licitação, restando como concorrentes a White e a empresa Laca Engenharia.

A Laca apresentou proposta comercial de R$ 18,138 milhões, mas acabou derrotada por não ter pique para cobrir a oferta da White, muito mais vantajosa para a administração municipal.

Infraestrutura do campus

A sede da Uepa em Parauapebas terá, em primeiro momento, um bloco com pavimento térreo e superior, com 19 salas de aulas, uma sala de estudos, seis salas de tutorial, três salas de cópias, duas lanchonetes, três laboratório de informática, uma sala multiuso, três laboratórios de Ciências Biológicas, chuveiro de emergência para atender os laboratórios, duas salas de armazenamentos para Ciências Biológicas, sala de esterilização para apoio de laboratório, três laboratórios de Enfermagem, uma biblioteca provisória, um deposito de materiais de limpeza, três blocos de banheiros, uma sala de TI, quatro salas de coordenação de cursos, cinco setores administrativos. A área total é de 4.554,57 metros quadrados.