Tucumã: Pai que estuprava a filha desde janeiro é preso e culpa o demônio pelo crime hediondo

Tucumã: Pai que estuprava a filha desde janeiro é preso e culpa o demônio pelo crime hediondo

Continua depois da publicidade

Em Tucumã, um homem de 36 anos foi preso pela Polícia Civil nesta quinta-feira (19), após ser denunciado por estupro de vulnerável. A denúncia partiu da própria vítima, uma menina de 11 anos, filha dele. A garota vinha sendo vítima do abuso sexual desde janeiro deste ano, e foi salva das garras do pai monstro graças à Campanha Faça Bonito, alusiva ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e a Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes, transcorrido na quarta (18).

A menina é filha de pais separados e, após a dissolução da família, tentou morar com a mãe, mas foi vítima de tentativa de abuso sexual por parte do companheiro da avó dela, e decidiu voltar a morar com o pai, que, na época, ao saber do assédio, registrou queixa na Delegacia de Polícia Civil, porém, até o momento, o acusado não foi localizado.   

Com o pai, a menina imaginou estar em segurança e protegida pela figura paterna. Entretanto, ao estar sozinho com a filha, ele passou a abusar da filha, mantendo relações sexuais com a garota, do todas as maneiras, inclusive, na própria noite de quarta-feira (18).    

A denúncia da criança se deu após a realização de palestra alusiva à campanha “Faça Bonito”, na escola em que ela estuda, proferida pelo Programa Rádio Margarida, que esteve na cidade na quarta.

Após ouvir na palestra, que nada aconteceria de mal com quem denunciasse ser vítima de violência sexual, na quinta-feira (19), ela retornou à escola disposta a contar tudo para a professora. Ao ouvir a criança, a direção do estabelecimento de ensino comunicou o Conselho Tutelar, que denunciou o caso à Polícia Civil.

Os investigadores se preparavam para prender o acusado, quando ele entrou na delegacia para registrar o desaparecimento da filha, que não havia retornado da escola. Foi preso em flagrante e confessou os abusos praticados contra a menina. Perguntado pela Reportagem por que motivo estuprava a própria filha, o homem colocou a culpa em satanás: “Não era eu, era o demônio”, respondeu. Ele foi enquadrado no artigo 217-A, do Código Penal Brasileiro, pelo crime de estupro de vulnerável, cuja pena é de oito a 18 anos de prisão.

Mais de 70% da violência sexual contra crianças ocorre dentro de casa

“Esse fato deve servir de estímulo para que outras crianças ou adolescentes que sofrem abuso sexual dos pais ou de pessoas próximas, também denunciem, tendo certeza de que nada lhes acontecerá”, disse à Reportagem a educadora aposentada, Lucinete Tavares Aquino.

Dados do Disque 100 mostram que, só no ano passado, foram registradas um total de 17.093 denúncias de violência sexual contra menores de idade. A maior parte delas é de abuso sexual (13.418 casos), mas há denúncias também de exploração sexual (3.675). Só nos primeiros meses deste ano, o governo federal registrou 4,7 mil novas denúncias.

Os números mostram que mais de 70% dos casos de abuso de exploração sexual de crianças e adolescentes são praticados por pais, mães, padrastos ou outros parentes das vítimas. Em mais de 70% dos registros, a violência foi cometida na casa do abusador ou da vítima. 

“Muitas, mães, por sinal, não permitem que a filha ou o filho vítima de abuso pelo pai ou outro parente, denunciem, abafam, para evitar escândalos ou pela dependência econômica. Então, o que essa vítima deve fazer é procurar amparo na escola, com a professora, com a direção – como essa garota o fez, e muito bem – ou no Conselho Tutelar”, aconselha a educadora.         

Eleuterio Gomes – de Marabá, com informações do repórter Jucelino Show, de Tucumã 

Deixe seu comentário

Posts relacionados