Traficante preso em Marabá com mais de 500 petecas de crack

Com a venda do entorpecente, o marginal ganharia mais de R$ 10 mil, às custas da desgraça alheia
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Por volta de 15h de ontem, sexta-feira (10), a Polícia Civil prendeu, em flagrante, em Marabá, o indivíduo de iniciais R.M.S.. Na quitinete dele, na esquina da Avenida Antônio Vilhena com a Rua Bahia, Bairro Liberdade, os policiais encontraram 510 petecas de crack.

A polícia chegou a R.M.S. por meio de denúncia dirigida aos plantonistas da Divisão de Homicídios da 21ª Seccional Urbana de Polícia Civil e à DP de São Domingos do Araguaia.

A informação repassada aos policiais civis dava conta de que duas pessoas contra as quais havia mandado de prisão preventiva, expedido pela Justiça Estadual, estavam na cidade. O denunciante informou também o endereço, com detalhes da localização.

Quando a equipe da Polícia Civil chegou à quitinete, já da porta viu 10 petecas de crack em uma mesa e, ao fazer minuciosa revista nos compartimentos, encontrou, escondidos em um armário, mais 500 pacotinhos do entorpecente. Vendidas a R$ 20,00 cada uma, o traficante ganharia R$ 10.200,00 às custas da desgraça de pessoas e da desagregação de famílias.

R.M.S. foi preso em flagrante pelo crime de tráfico de drogas, enquadrado no artigo 33 da Lei 11.343/2006 – Lei Antidrogas – e pode pegar de 5 a 15 anos de cadeia. A outra pessoa denunciada não foi encontrada no local.

No Brasil, segundo levantamento da Fiocruz, aproximadamente 210 mil pessoas fazem uso de crack. Entretanto, números extraoficiais que levam em conta a população marginalizada, longe dos olhos dos pesquisadores, calculam que pode chegar a meio milhão os dependentes dessa droga devastadora.

(Caetano Silva)

Publicidade