Técnico de enfermagem se envolve com colega casada e é executado a bala

Após o assassinato, traidora e traído fugiram e estão sendo procurados pela Polícia Civil. Os indícios apontam que o marido enganado matou ou mandou matar o amante da mulher
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O técnico de enfermagem Ernandes Rodrigues Pereira, 25 anos, morreu baleado no início da tarde desta terça-feira (2), no Bairro Nova Vida, em Parauapebas. O caso aconteceu por volta das 13h30, na rua Airton Sena, onde ele morava. O jovem havia saído do trabalho na companhia de uma colega de prenome Antônia, também técnica de enfermagem, que lhe deu carona.

Quando descia do carro, na porta da casa do pai, foi executado pelo passageiro da garupa de uma moto Honda Pop, branca, cujo piloto estava seguindo o veículo. A execução tem características de crime passional, uma vez que Ernandes, que era casado, estaria tendo envolvimento extraconjugal com Antônia, também casada.

Ernandes foi atingido primeiramente por dois disparos e se segurou na porta do carro, caindo aos poucos. Então recebeu o tiro de misericórdia, cuja bala atravessou-lhe a boca e saiu pelo pescoço.

Socorrido por populares e levado às pressas ao Hospital Geral, o técnico de enfermagem morreu ao dar entrada na casa de saúde.   Informada do crime, a delegada de plantão, Anna Carolina de Abreu, e equipe de investigadores saíram a campo apurando as informações.

Segundo a delegada, ouvida pela Reportagem do Blog, os primeiros levantamentos apontam que Ernandes Pereira estava tendo envolvimento amoroso com Antônia, que é casada, e que ele já vinha sendo ameaçado de morte pelo marido dela havia alguns meses, após este ter descoberto o relacionamento extraconjugal da mulher. Ontem, segunda-feira (11), ela teria dito que queria a separação.

Um irmão de Ernandes, que o estava levando e buscando no trabalho, em razão das ameaças, contou que, inclusive, o rapaz já teria sido seguido pelo marido da colega de trabalho.

“Assim que os fatos ocorreram, ela [Antônia] não prestou nenhum socorro. Nós tomamos conhecimento e fomos ao hospital. Infelizmente, a vítima já tinha ido a óbito. O carro está lá na casa da amante, com perfurações e manchas de sangue. Não foi levado nenhum objeto da vítima. Então nós descartamos a possibilidade de latrocínio”, afirma a delegada.

Anna Carolina informa que a Polícia Civil trabalha com a possibilidade de homicídio qualificado, crime passional motivado por ciúmes do marido da mulher, identificado pelo prenome de Carlos: “A gente ainda não conseguiu identificar se ele foi o autor dos disparos ou se foi o mandante. Mas acreditamos que há sim o envolvimento dele e que foi um crime passional. Já estamos providenciando o mandado de prisão preventiva para ele”.

A mulher de Ernandes Pereira, bastante abalada, prestou depoimento e disse que não sabia do relacionamento extraconjugal do marido. Ao contrário do pai e do irmão dele, que tinham conhecimento, inclusive, das ameaças, as quais não foram registradas em Boletim de Ocorrência.

A delegada apela para quem saiba do paradeiro de Antônia e do marido dela, os quais fugiram após o crime, que ligue para o Disque Denúncia da Polícia Civil, 181. O sigilo do denunciante é garantido.

(Caetano Silva)

Publicidade