Serra Pelada: tempo de serviço não será suficiente para manter funcionários da COOMIGASP

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

SERRA PELADA – Tempo de serviço não será suficiente para manter funcionários da COOMIGASP

Uma reunião realizada na quinta-feira passada gerou expectativa a funcionários e ex-funcionários da Cooperativa de Mineração dos Garimpeiros de Serra Pelada – Coomigasp. O encontro tinha como objetivo repassar informações sobre como ficarão essas pessoas no novo modelo de gestão.

O primeiro desafio seria negociar com dois grupos distintos, já que há uma divisão entre diretoria de Valder Falcão e de Vitor Albarato e ambos tinham funcionários dentro da entidade. Mas para o interventor Marcos Alexandre, o processo é imparcial: “Eu não considero que estamos trabalhando com dois grupos, eu tenho um problema instalado hoje na cooperativa e precisamos resolver, nosso trabalho é imparcial. Eu não visualizo dois grupos, eu visualizo uma cooperativa que tem um grupo de cooperados de 38 mil sócios e nessa entidade diversos problemas de caráter administrativo e trabalhista para ser resolvido”, disse o interventor.

documento-avaliadoInterventor avalia documentação de funcionário da cooperativa

De quando assumiu a intervenção até agora o trabalho foi conhecer a fundo os problemas da entidade, segundo o interventor e contratar mão de obra técnica especializada, das quais já estão incorporados gerente de produção, geólogo e engenheiro de minas. “Esse corpo técnico faz parte da primeira ação ostensiva da intervenção e logo estarão no canteiro de obras do projeto Serra Pelada representando a Coomigasp”, afirmou Marcos Alexandre.

celio-interventor

Célio Sá conversa com Marcos Alexandre

Quanto a resultados dos trabalhos segundo o interventor não há prazo a ser dado aos garimpeiros, “É muito prematuro estipular prazos porque depois de composta a equipe é preciso diagnosticar cada ação, cada assunto, mas prevemos que antes dos seis meses essas ações já entram em vigor”.

Para compor os demais cargos na entidade será realizada uma pré-seleção que se inicia com funcionários ainda vinculados à cooperativa: “E lógico que os que não detenham conhecimento necessário para o cargo exercido não serão aproveitados”, explicou Alexandre. Com isso pessoas com mais de dez anos prestando serviços poderão estar fora do processo e novas caras devem aparecer na entidade.

Contratadas – Segundo o interventor, empresas de prestação de serviços jurídicos, administrativos e de comunicação, ainda não tem contratos firmados com a entidade, contudo algumas já estão dando suporte à nova gestão atendendo em casos necessários.

Um exemplo dessa prestação de serviços é a Templo, agência de comunicação que segundo Marcos Alexandre já prestou serviços para ele em outra oportunidade e, portanto é conhecida e ainda em suas palavras “atende as demandas iniciais da Coomigasp”. Vale ressaltar que a Templo é a mesma que atende a Colossus.

Atualização

NOTA DE ESCLARECIMENTO TEMPLE
A Temple Comunicação esclarece que não presta serviços de assessoria de imprensa e/ou publicidade à Cooperativa de Mineração dos Garimpeiros de Serra Pelada (Coomigasp) e ao interventor Marcos Alexandre. A agência é contratada da empresa Colossus Mineração, para a qual faz atendimentos em várias áreas da comunicação, inclusive assessoria de imprensa.

Fonte: Wenderson Costa – Fotos: Jonh Jessé

Publicidade

Posts relacionados