Sefa apreende carregamentos de cachaça, cerveja e energéticos sem recolhimento de imposto

O carregamento de cerveja e energético foi apreendido na madrugada deste domingo (30), na Unidade de Fiscalização do Itinga, em Dom Eliseu, no sudeste do Pará. A carga, avaliada em R$ 131 mil, estava vindo de Águas Lindas de Goiás (GO)
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Carregamento de cerveja foi apreendido na unidade de fiscalização de Itinga (Foto: SEFA)

Continua depois da publicidade

Fiscais de receitas estaduais da Coordenação de Mercadorias em Trânsito da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa) apreenderam carregamentos de bebidas sem o recolhimento de imposto nas unidades do Itinga, em Dom Eliseu, no sudeste do Pará, e de Belém. Em Itinga, foi apreendida, na madrugada deste domingo (30), uma carreta com 9.174 garrafas de 2 litros de energético e 47.040 latas de 350 ml de cerveja.

A mercadoria vinha de Águas Lindas de Goiás (GO), sem recolhimento do imposto estadual, tendo sido avaliada em R$ 131 mil. Foram lavrados dois Termos de Apreensão e Depósito (TADs), no valor de R$ 70,782 mil.

No sábado (29), a fiscalização apreendeu uma carga de 3.750 caixas de cachaça, que teria como suposto destino o estado de Roraima. Segundo a Sefa, o carregamento saiu de Brasília acompanhado por notas fiscais inidôneas.

A carga, composta por 45 mil garrafas, foi acompanhada durante todo o percurso no estado e apreendida ao entrar na Região Metropolitana de Belém. O trabalho de fiscalização iniciou na unidade fazendária do Itinga, que faz fronteira com o Maranhão.

De acordo com a Sefa, em Itinga, o transportador apresentou as notas fiscais tendo como destino a cidade de Boa Vista (RR). A mercadoria foi liberada, mas a Secretaria iniciou um procedimento de apuração, contatando os Fiscos de Brasília, local de saída da mercadoria, e Roraima, suposto local de destino, descobrindo que as duas empresas não existiam no local informado no documento fiscal.

“Esta operação exigiu consulta a outros fiscos e articulação da equipe. O Fisco de Roraima constatou que a empresa destinatária não existia no local indicado. Acompanhamos a mercadoria até o melhor local para abordagem. Sabemos que a carga não ia pra Roraima e, possivelmente, ficaria no Pará; por isso a autuação,” informou o coordenador de mercadorias em trânsito de Belém, Volnandes Pereira.

A mercadoria foi avaliada em R$ 75 mil e foi lavrado TAD no valor de R$ 69 mil. A Sefa ressalta que a ação fiscal em conjunto culminou com a apreensão da mercadoria e a suspensão do estabelecimento remetente no Distrito Federal. 

“A presença da fiscalização nas áreas de fronteira é importante porque coíbe esse tipo de atividade ilícita,” enfatizou o diretor de Fiscalização da Sefa, Paulo Veras, frisando que até o momento não houve pagamento e a mercadoria segue retida em Belém.

Tina DeBord
Publicidade