Secretários escolares discutem histórico de alunos e validação de estudos

Formações realizadas pelas técnicas do Dide têm por finalidade capacitar profissionais que atuam com documentação escolar de atualmente 45 mil estudantes da rede pública municipal.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O Departamento de Inspeção e Documentação Escolar (Dide), subordinado à Secretaria Municipal de Educação (Semed), promoveu na manhã desta sexta-feira (20) formação para cerca de 70 secretários escolares sobre a gestão de processos de validação de estudos e históricos de alunos. O encontro aconteceu no auditório da Escola Cecília Meireles e levou os participantes a refletirem, por meio de didáticas em grupo, sobre questões comuns à rotina de secretariado, como o correto preenchimento dos históricos. O trabalho desempenhado pelo Dide diz respeito diretamente à vida escolar dos atuais 45 mil estudantes da rede pública municipal.

A formação foi comandada pelas técnicas Olga Carneiro, Juliana Souza, Rosely Rebuças, Delma Alves, Rosenilde Carvalho e pela titular do departamento, Aldenice Matos. De acordo com Aldenice, o encontro teve como objetivo, entre outros aspectos, aprimorar e afinar os conhecimentos acerca da legislação vigente no tocante à validação de estudos, atendo-se aos procedimentos previstos em resolução de 2009 do Conselho Municipal de Educação de Parauapebas (Comepa) e, também, capacitar os secretários para terem compreensão da estrutura organizacional dos históricos recebidos de diversas redes de ensino.

“A validação de estudo é um aspecto essencial na rotina do secretariado porque, na prática, implica regularizar e permitir a continuidade da vida escolar dos alunos de 1º a 9º ano do ensino fundamental”, explica a coordenadora do Dide. Casos emblemáticos de processos de validação escolar e de preenchimento de histórico ocorrem, por exemplo, durante transferências. Alunos vindos de outros lugares com dependência de disciplina frequentemente impõem uma dinâmica de procedimentos diferente, do ponto de vista da organização da papelada escolar, em relação àquele que veio transferido sem dependência.

Boas novas!

Durante o encontro, as técnicas anunciaram que a Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Antônio Matos foi reconhecida — na formação anterior, no início deste semestre, a pauta eram a situação legal das escolas da rede municipal e as normas para autorização e reconhecimento do ensino fundamental e educação infantil ofertados nas redes pública e privada. Outra escola que também está com o processo de reconhecimento encaminhado e prestes a sair do forno é a Escola Municipal de Educação Infantil (EMEI) Gente Inocente.

Publicidade