Secretaria de Saúde de Parauapebas adquire novos métodos de planejamento familiar

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

A rede municipal de saúde de Parauapebas já dispõe de dois novos métodos de planejamento familiar, o essure e o implanon. O lançamento dos produtos ocorreu na última quarta-feira (12), em entrevista coletiva com o secretário municipal de Saúde, Rômulo Maia.

Coletiva Semsa

A estratégia do governo municipal com o reforço do programa é disponibilizar mais opções de contraceptivos e fortalecer a Atenção Básica de Saúde. De acordo com Rômulo Maia, com a introdução desses dois novos métodos, Parauapebas dispõe de um sistema de planejamento familiar completo.  “A prefeitura quer oferecer o que há de mais moderno no mercado em contraceptivo para que as pessoas do município possam escolher um método seguro e com o maior conforto possível”, afirma o secretário.

O reforço no programa ocorreu devido ao elevado número de partos realizados nos últimos anos. “De 2010 a 2013, Parauapebas teve um aumento de 24% no número de nascidos vivos, fora os casos de mortalidade infantil e materna em decorrência de complicações no parto”, diz Cleice Ribeiro, coordenadora municipal do Programa Saúde da Mulher.

Todos os métodos contraceptivos são de livre escolha das pacientes, que precisam passar por uma avaliação médica antes.  Além de prevenir a gravidez não planejada, as gestações de alto risco e a promoção de maior intervalo entre os partos, o planejamento familiar proporciona maior qualidade de vida ao casal, que tem somente o número de filhos que planejou.

Com a inserção dos dois novos métodos, o município passa a oferecer sete novos contraceptivos. A Atenção Básica de Saúde oferece ainda preservativos, pílula anticoncepcional, pílula do dia seguinte, contraceptivos injetáveis, DIU, além da laqueadura convencional e vasectomia.

Conheça o essure e o implanon

O implanon é um método contraceptivo revolucionário. É um implante subdérmico que oferece proteção por três anos. Ele libera hormônio diariamente na corrente sanguínea inibindo a ovulação e pode ser retirado no momento em que a usuária quiser engravidar sem prejuízo algum para uma futura gravidez.

O essure é uma laqueadura minimamente invasiva, ou seja, sem necessidade de corte ou anestesia. É um método permanente e a mulher que optar por ele, deve atender aos critérios do SUS. Diferente da  laqueadura convencional, o essure permite que a mulher retorne imediatamente às suas atividades laborais, sem a necessidade de internação ou uso de centro cirúrgico.

Quem pode fazer?

Implanon: mulheres maiores de idade.

Essure: mulheres com capacidade civil plena e maiores de vinte e cinco anos; com dois filhos vivos, desde que observado o prazo mínimo de 60 dias entre a manifestação da vontade e a cirurgia.

Além do que é preconizado pelo Ministério da Saúde, o município ainda oferece uma consulta com psicólogo para auxiliar a mulher a escolher o método contraceptivo.

Publicidade