São Félix do Xingu: Acordo garante digitalização de processos da Comarca do município

O Termo de Cooperação, firmado entre prefeitura, Tribunal de Justiça do Pará (TJPA) e OAB, vaia implantar acervo 100% digital na Comarca do município. A digitalização e a virtualização de processos físicos têm objetivo de tornar mais eficiente a prestação jurisdicional
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Um Acordo de Cooperação Técnica firmado entre o Tribunal de Justiça do Pará (TJPA), a Prefeitura Municipal de São Félix do Xingu e a 18ª Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (Subseção Tucumã) vai garantir a digitalização para fins de virtualização do acervo físico da Comarca de São Félix do Xingu, no sul do estado, com o intuito de implantação do acervo 100% digital. A presidência do TJPA já autorizou também a formalização de acordo de cooperação técnica nesse sentido com os municípios de Barcarena, Tucuruí, Vitória do Xingu, Medicilândia e Altamira.  

Segundo o TJPA, a digitalização e a virtualização de processos físicos têm objetivo de tornar mais eficiente à prestação jurisdicional, possibilitando, assim, a otimização da tramitação processual, a redução de custos com instalações físicas para acautelamento e arquivamento de autos, o que contribui com o meio ambiente e a celeridade processual. Ainda de acordo com o tribunal, ampliação do programa de digitalização e virtualização no Poder Judiciário do Estado do Pará é uma das ações da gestão do biênio 2021-2023, em seu Plano de Gestão, que tem à frente a desembargadora Célia Regina de Lima Pinheiro.

A ação integra o macrodesafio de Implementação de Agilidade e Produtividade na Prestação Jurisdicional, que alcança, também, as iniciativas de aprimoramento da realização de atos por videoconferência e a implementação do Juízo 100% Digital. O Acordo de Cooperação firmado com a Prefeitura Municipal de São Félix do Xingu e a 18ª Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil, em conformidade com a Portaria nº. 1.833/2020, prevê que a digitalização dos processos físicos seja realizada pela Central de Digitalização, estabelecida na sala da subseção da OAB, após a separação e envio dos processos pelos servidores e servidoras da unidade judiciária.

A prefeitura vai disponibilizar servidores e recursos materiais. A digitalização e virtualização dos processos serão realizadas em duas frentes de trabalho como forma de maximizar a eficiência do projeto.

Enquanto a equipe da Central de Digitalização promove a digitalização dos processos físicos, servidores da unidade judiciária realizam a migração dos processos com sua competente inclusão no Sistema de Processo Judicial Eletrônico (PJe). A coordenação dos trabalhos na Comarca de São Félix do Xingu está a cargo do Juiz de Direito Cristiano Lopes Seglia, que vai supervisionar toda execução da digitalização e a migração ao Sistema PJe. De acordo com o TJPA, o acervo físico da Comarca é de aproximadamente 6.459 processos.

Tina DeBord – com informações TJPA

Foto: TJPA

Posts relacionados