Remo perde para o Paysandu na Curuzu, por 3 a 1, mas é campeão do Parazão 2022

Como havia vencido no jogo de ida, por 3 a 0, o Leão Azul soltou o grito de “é campeão!”

Continua depois da publicidade

O Clube do Remo voltou a soltar o grito de “é campeão” do Campeonato Paraense. Após perder para o maior o rival Paysandu, por 3 a 1, o Leão Azul encerrou a hegemonia bicolor no estadual, levantando a sua 47ª taça do Parazão, na noite desta quarta-feira, 6, no Estádio Leônidas Castro, a Curuzu, em Belém. No jogo de ida, o Leão goleou o Papão, por 3 a 0, no Estádio Evandro Almeida, o Baenão, ficando no agregado com o placar de 4 a 3 para os azulinos.

O jogo – Leão é campeão!

O Paysandu começou a decisão pressionando o Remo, já que precisava tirar uma boa vantagem do grande rival. Logo aos nove minutos de bola rolando, Igor Carvalho cruzou da direita, a redonda passou pelo atacante Marcelo Toscano, Ricardo Luz não conseguiu cortar e o meia Ricardinho pegou de primeira para o fundo do barbante, 1 a 0 para a explosão da Fiel Bicolor, que lotou a Curuzu.

Só dava Papão. Patrick Brey cruzou da esquerda para José Aldo, que desviou com o pé para o fundo do gol, 2 a 0, aos 22 minutos. A pressão bicolor era grande. Marlon cruzou da esquerda e a bola caprichosamente explodiu no travessão do goleiro Vinícius. Não demorou para sair o terceiro tento do time alviceleste. Marcelo Toscano deu carrinho e ganhou na bola, o atacante bicolor levantou na área e a redonda passou diretamente para o fundo do barbante remista, aos 38 minutos, 3 a 0 Paysandu.

No segundo tempo, o Leão Azul mostrou uma nova postura diante do rival. Aos 14 minutos, Leonan tabelou com Marco Antônio e soltou o pé, marcando um golaço na Curuzu, era o gol que deixava o Remo vivo na partida e na briga pelo título. Após uma confusão no banco de reservas azulino, Juninho, que é preparador de goleiros do Leão, e Edson Gonzaga, auxiliar técnico do clube de Periçá, foram expulsos pelo árbitro paulista Raphael Claus, da FIFA.

O time bicolor teve a chance de marcar o quarto gol, quando Dioguinho recebeu de Robinho e finalizou por cima do travessão do goleiro Vinícius. As coisas pioraram para o Paysandu, quando o zagueiro Marcão agrediu de forma infantil seu adversário e levou cartão vermelho, aos 23 minutos.

O técnico Paulo Bonamigo colocou o meia Felipe Gedoz em campo, o atleta azulino estava voltando de lesão. O Leão cozinhou o jogo no final e soltou o grito de “é campeão”, em pleno Estádio da Curuzu, feito que não acontecia desde 1968. Placar final: Paysandu 3 x 1 Remo. O Leão Azul conquistou a sua primeira Taça Estrela do Norte, nome dado ao troféu do novo formato do Parazão.

Por Fábio Relvas / Foto: Divulgação