Pará

Reforma do Hospital Municipal de Floresta está com seis meses de atraso

Usuários procuraram a Reportagem do Blog do Zé Dudu para denunciar a situação. O secretário de Saúde nega que as obras estejam paralisadas e culpa a burocracia oficial pela lentidão da reforma

Moradores de Floresta do Araguaia procuraram a Reportagem do Blog para reclamar da paralisação das obras de reforma do Hospital Municipal, há mais de seis meses. Os trabalhos iniciaram em 24 de fevereiro de 2018, com previsão de encerramento para 24 de agosto do mesmo ano. Ou seja, seis meses depois. No entanto, já se vão 13 meses e tudo parece estar parado. Segundo os denunciantes, nem sequer se vê trabalhadores no local.

“Aqui não tem ninguém trabalhando. E, se o secretário disser que tem, eu digo que é mentira. Na realidade, vi, no começo, três trabalhadores, daí nunca mais vi ninguém. Estamos esperançosos de que este hospital seja reformado, mas, pelo visto, não vai ser agora”, desabafou João Batista de Amorim.

Marina Alves de Oliveira disse que já perdeu a esperança na reforma do hospital. “Antes de colocar a tal placa, o hospital já estava parado. A gente só ouvia rumores de que iria passar por uma reforma. Eles começaram e não terminaram, nós queremos o hospital, precisamos desta unidade de saúde”, apelou a estudante.

Floresta do Araguaia está localizado no sul do Pará e, segundo estimativa do IBGE de 2018, tem população de 20.080 habitantes, os quais dependem do único hospital do município e dos postos de atendimento à família presentes em alguns bairros.

Quem passa em frente ao Hospital Municipal percebe que não há homens nem máquinas trabalhando no local. A placa da obra diz que a reforma foi orçada em R$ 986.826,75, e que se trata de parceria entre a Prefeitura de Floresta e o Ministério da Saúde. A empresa responsável pelos serviços é a AHX Locação, empreendimentos e serviços Ltda.-EPP.

A Reportagem do Blog entrou em contato com o secretario de Saúde de Floresta do Araguaia, Francisco Lucileno de Aquino, que negou que as obras estejam paralisadas e que não existam trabalhadores no local, mas admitiu que os trabalhos acontecem em ritmo lento.

Segundo ele, há homens sim trabalhando na obra e as reformas internas estão bastante adiantadas, inclusive esta semana a construtora vai instalar as portas de vidro.

Segundo Francisco de Aquino, o motivo da demora é a burocracia que envolve a liberação dos recursos por parte da Caixa Econômica Federal. Ele detalha que, assim que a construtora conclui uma etapa da obra, a Caixa envia um engenheiro para fazer a medição. Ou seja, para verificar se o que foi executado está compatível com o que foi projetado. Após a medição, a Caixa envia o relatório ao Ministério da Saúde solicitando o desbloqueio do valor que deve ser repassado à construtora e só quando o recurso é liberado é que a obra prossegue.

Ainda segundo Aquino, já foram investidos na obra R$146 mil. Outros R$ 159 mil aguardam, há 90 dias, a liberação, pelo Ministério da Saúde. “Até o momento o MS não liberou o recurso para que a Caixa possa pagar a empresa. É isso que às vezes dificulta e a obra acaba indo nessa vagareza”, disse o secretário de Saúde.

Ele informou que vai a Brasília conversar com o senador Zequinha Marinho para pedir ajuda, uma vez que foi de Marinho, quando deputado federal, a emenda parlamentar para a reforma do Hospital Municipal de Floresta do Araguaia.

O secretário de Saúde ainda disse que o atendimento hospitalar está sendo feito em dois locais em Floresta do Araguaia, mas não informou onde.

Deixe seu comentário