QUEM GANHA E QUEM PERDE

Continua depois da publicidade

Passada a eleição, é hora de comemorar a vitória para quem se saiu vencedor e de fazer análises e conjecturas para os derrotados. Alguns pontos devem ser evidenciados nessa eleição municipal. Às vezes, nem sempre quando se é derrotado, se perde. Existem males que vem pra bem, e essa eleição municipal serviu de lição para muitos candidatos, fomentadores financeiros e militantes.

A derrota deve ser analisada de forma simples. Entra-se em uma campanha, onde só um vence, pra ganhar ou pra perder. A derrota, assim como a vitória, faz parte do processo de aprendizagem a que todos nós devemos passar.

Muitos agora assumirão a paternidade da vitória e/ou se colocarão do lado vencedor, dizendo que sempre confiou na vitória, apoiando, trabalhando e blá,blá,blá… Quando na verdade, torciam pelo contrário ou até mesmo se dedicaram para que o resultado fosse diferente.

Darci venceu, com uma margem superior à esperada por este blogger e tem todos os méritos para isso. A ele ou louros da vitória. Parabéns Professor! Professor porque soube dar uma aula de como se deve fazer política. Sabendo de suas limitações, teve a sabedoria para liderar e assumir uma campanha, nomeando e agregando pessoas que se mostraram profundamente capazes de arregimentar um exército em prol de um objetivo, de mostrar aos adversários que estavam unidos, que o discurso era só um, a vitória.

Enquanto nas outras candidaturas, se digladiavam em busca de espaço, o “professor” e sua trupe se mantinham unidos. Não havia disputa por poder interno e não se discutia quem iria ser o que quando a vitória chegasse. A cronologia ensinada pelo “professor” era que primeiro deveria se ganhar o bolo, depois dividi-lo.

Darci se saiu vitorioso porque soube usar as armas que tinha a seu dispor. Usou a máquina administrativa de forma completa. Tinha uma prefeitura com uma folha de pagamento de 13 milhões mensais onde todos os funcionários estavam trabalhando para o candidato. Alguns involuntariamente e até mesmo contrariados, mas trabalhando. O mar vermelho ocupou as secretarias e autarquias do município e isso levou Darci à vitória. Merecida? Sim, claro! Não se pode tirar o mérito do vencedor.

Passada a festa se abrirá o cofre e se verá uma baixa muito grande no tesouro real. Os esforços financeiros para a vitória foram desmedidos, e até mesmo irresponsáveis em certos pontos. Como em toda campanha, é chegada a hora de cumprir os compromissos assumidos. Rever as alianças, fazer novas. Terminar o atual governo dentro de uma normalidade básica para depois tentar cumprir as promessas de campanha, no próximo.

O erro dessa campanha vitoriosa de Darci, na opinião desse blogger, vai à composição da Câmara de Vereadores. Mas isso será motivo para outra postagem. Agora é hora de observar, vitoriosos e derrotados. A vida continua e os outrora inimigos, voltam a ser amigos. Juntos acontecerão àquela pelada, aquele churrasco, aquele encontro no boteco para botar o papo em dia, a política será deixada de lado. Temporariamente.

Isso é a democracia. Saber ganhar e saber perder. Na grande maioria dos casos a vitória ou até mesmo a derrota não influencia em nada no modo de vida das pessoas que levantaram bandeiras, brancas ou vermelhas. Alguns poucos são prejudicados com o processo político. Alguns poucos são beneficiados.

Continuaremos aqui. Teclando sempre em prol de uma Parauapebas melhor, mas justa e com qualidade de vida melhor para todos. Passada a política e a campanha, falaremos de políticos, de pessoas, de fatos e acontecimentos que marcaram e marcarão nossa cidade. Assuntos com certeza não faltarão.