Produto Interno Bruto paraense foi de R$ 91,009 bilhões em 2012, diz Idesp

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O Produto Interno Bruto (PIB) do Pará, em 2012, foi de R$ 91,009 bilhões. O cálculo do PIB estadual é realizado anualmente pelo Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará (IDESP), em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e foi divulgado na manhã desta sexta-feira (14), na sede do órgão paraense. O tempo em que todos os dados são disponibilizados é o que estabelece o âmbito e a defasagem para cada versão do sistema de contas regionais. Dessa forma, há uma diferença de dois anos entre o ano analisado e o de divulgação dos dados, por isso os números expostos dizem respeito a 2012.

De acordo com o documento divulgado pelo IDESP, o PIB paraense apresentou crescimento real de 2,9% em 2012, resultado menor que o ano anterior. No entanto, a economia paraense expandiu mais que a média nacional, que foi de 1,0%, resultado que vem se repetindo desde 2010. O valor de R$ 91,009 bilhões, a preços de mercado corrente, foi nominalmente 3,0% maior do que em 2011. Em termos de participação relativa, o Pará contribuiu com 2,1% do PIB brasileiro, mantendo a 12ª posição no ranking nacional. Na Região Norte, ele continua como primeiro lugar com 39,33% de participação.

O PIB per capita paraense de R$ 11.679, no ano de 2012, foi 1,6% maior em termos nominais, que o ano anterior, mas ainda abaixo da média da Região Norte (R$ 14.179), permanecendo com a menor distribuição de renda per capita da região. Isso se deve pelo fato de o estado do Pará apresentar o maior contingente populacional (7,792 milhões habitantes) da Região Norte e o valor do PIB per capita é influenciado por essa variável. Os estados de Roraima (470 mil habitantes) e o Amapá (699 mil habitantes), por exemplo, apesar de apresentarem um resultado econômico inferior ao obtido pelo Pará, apresentam um valor per capita maior por possuírem um contingente populacional pequeno.

Composição

O PIB é formado pela soma do valor adicionado (VA) aos impostos sobre produtos, líquidos de subsídios. No caso paraense, em 2012, o VA (R$ 81,724 bilhões) participou com 89,8% e os impostos com 10,2% (R$ 9,285 bilhões) do Produto Interno Bruto. No que diz respeito aos três grandes setores de atividades econômicas, no ano de 2012, o comportamento do PIB estadual apresentou modificações.

O setor de serviços é o que tem maior peso na economia paraense e apresentou um crescimento real de 5,1%, resultado que possibilitou o aumento de sua participação no valor adicionado do Estado, passando de 51,5% em 2011 para 55,2% em 2012. A agropecuária não apresentou expansão no volume de produção, no entanto, o setor ganhou 1,1 ponto percentual (p.p.) de participação no VA paraense, passando de 6,1% para 7,2% de participação. O crescimento real da indústria foi pouco expressivo (0,4%). Em termos de participação no VA estadual, o setor perdeu 4,9 p.p de participação, passando de 42,5% para 37,6%, devido à redução no seu valor adicionado (R$ 34.343 milhões em 2011 para R$ 30.698 milhões em 2012).

Em relação às atividades econômicas dentro desses setores, as maiores taxas de crescimento real, em 2012, foram: construção civil 17,1%; transportes 11,9%; comércio 8,1% e outros serviços 5,6%. Em relação às atividades com resultados negativos, pode-se destacar: extrativa mineral (-2,7%); produção e distribuição de eletricidade e água (-2,0%); e indústria de transformação (-1,9%).

Indicadores para 2013

Estima-se a manutenção do crescimento da economia paraense em 2013, pois apesar de a Produção Física Industrial Mensal (-2,0%), segundo IBGE, ter apresentado desempenho negativo, houve crescimento na Arrecadação Nominal de 10,1%, indicado pela Secretaria de Estado da Fazendo (SEFA); no Volume de Vendas Mensal do Comércio de 5,9% (IBGE) e nas Exportações em 7,1%, de acordo com dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

Alteração

O IDESP salienta que está em curso a revisão da base do Sistema de Contas Nacionais (PIB Brasil), cuja nova série, com referência em 2010, será divulgada em 2015. Entretanto, o Sistema de Contas Nacionais Trimestrais (PIB Brasil Trimestral) e o Sistema de Contas Regionais (PIB das Unidades Federativas e do Distrito Federal) não interromperam suas estimativas.

Por isso, os procedimentos adotados para a estimativa dos resultados dos anos de 2010, 2011 e agora 2012, com referência em 2002 foram baseados no Sistema de Contas Nacionais Trimestrais, portanto, divulgados com um nível de detalhamento mais restrito, em 12 atividades e é de caráter preliminar. Portanto, alerta-se quanto à utilização dos números. Em 2015, os resultados das Contas Regionais do Brasil referentes a 2010, 2011 e 2012 serão reapresentados, de forma definitiva e integrados à nova série do Sistema de Contas Nacionais do Brasil.

Serviço:

A íntegra do documento divulgado por IDESP e IBGE está disponível em Produto Interno Bruto Estadual 2012

No dia 11 de dezembro, IDESP e IBGE divulgam o PIB dos municípios do Pará.

Fonte: Idesp

Publicidade