Presidente do Ibope: "Datena é milionário por nossa causa"

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, publicada ontem, 23, o presidente do Ibope, Carlos Augusto Montenegro, rebateu as críticas do apresentador do "Brasil Urgente", José Luís Datena.

O âncora da Band já chegou a comparar o trabalho do Instituto de Montenegro ao de estelionatários. Questionado pela publicação, o executivo afirmou que os ataques são naturais. "O Datena, por exemplo, é milionário por causa do Ibope. Ele troca de TV por causa dos nossos dados. As pessoas o querem porque ele é capaz, profissional e dá audiência", afirma Montenegro.

"Só que ele acha, às vezes, que não marca quatro pontos, que tem cinco ou mais. Aí, fala mal do Ibope, de mim", complementa.

Datena respondeu de forma veemente: "é uma desonestidade dizer que enriqueci por causa do Ibope. Ele não sabe da minha situação financeira. Não é da Receita Federal. Ele se acha no direito de fazer as pessoas ficarem ricas ou pobres? Pensa que é Deus?".

O presidente do Instituto segue o tom de que as críticas são acompanhadas de desempenhos ruins dos aferidos. Quando fala da Record, por exemplo, Montenegro afirma: "quando os números são bons para ela, elogia. Aliás, nós temos uma série de anúncios publicitários em que o canal diz que está em primeiro lugar, com a novela tal, com o programa tal. Quando ela não está bem, nos ataca".

A emissora de Edir Macedo já atacou Montenegro numa reportagem. Sobre ela, o executivo afirma que não respondeu à época, pois a matéria era "meio sem pé nem cabeça". Mas ele ressalta ter ficado lisonjeado com a lembrança. "Eu era citado como o cara mais poderoso do mundo. O cara que manda em tudo, que é dono do Brasil, que faz o presidente da República", relata.

O diretor nacional de comunicação da emissora, Celso Teixeira, respondeu dizendo que o "Domingo Espetacular" recebeu uma denúncia, investigou e apresentou as informações comprovadas "que estão em investigação pelas autoridades".

Fonte: Adnews

Publicidade

Posts relacionados