Prefeituras do Pará planejam queimar R$ 35 milhões em combustíveis

Dez municípios abriram em agosto licitações que vão de pouco mais de R$ 150 mil a quase R$ 8 milhões. Valor global orçado é suficiente para sustentar por um ano 20 prefeituras do estado.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

A disposição para gastar dinheiro público por parte das prefeituras desconhece os efeitos nefastos da pandemia de coronavírus que assola o mundo. Este mês, conforme levantamento realizado pelo Blog do Zé Dudu junto ao Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), ao menos dez prefeituras paraenses vão às compras de combustíveis e lubrificantes, em valores que chegam a dez vezes mais que os investimentos feitos para controlar a expansão da Covid-19, doença causada pelo vírus e que não para de ceifar vidas no estado.

O Blog calculou que os gastos estimados com os pregões em andamento e cujas propostas ficaram marcadas para este mês totalizam R$ 35,196 milhões. É um valor que daria para sustentar integralmente 20 prefeituras do Pará, como Pau D’Arco (R$ 26 milhões), Brejo Grande do Araguaia (R$ 24 milhões), Sapucaia (R$ 23 milhões), todas no sudeste do estado.

Três registros de preços ficaram de ocorrer na última segunda-feira (3), mas ainda não se tem o desfecho deles. Para esse dia, a Prefeitura de Viseu lançou dois editais visando à compra de combustíveis, um no valor de R$ 3,655 milhões e outro no custo estimado de R$ 5,305 milhões (Confira aqui). Já a Prefeitura de Jacareacanga é responsável pela maior licitação do ramo no mês: R$ 7,944 milhões (Confira aqui).

Esta semana ainda há mais três registros de preços para acontecer. Nesta quinta (6), a Prefeitura de Chaves vai receber lances para combustíveis, gás e lubrificantes até o valor de R$ 4,093 milhões (Confira aqui). Amanhã, sexta (7), os governos de Santarém, com compra estimada em R$ 156 mil (Confira aqui), e Terra Alta, com aquisição de R$ 2,611 milhões (Confira aqui), movimentam os postos de combustíveis.

Na semana que vem, Castanhal abre o ramo no dia 10 com estimativa de gastos de R$ 260 mil em combustíveis para a secretaria de saúde (Confira aqui). Depois, no dia 12, estão marcadas as licitações de Óbitos, R$ 1,075 milhão (Confira aqui); Goianésia do Pará, R$ 4,998 milhões (Confira aqui); e Aveiro, R$ 184 mil (Confira aqui). A Prefeitura de Aveiro, aliás, tem mais um processo marcado para o dia seguinte estimado em R$ 1,994 milhão com a mesma finalidade (Confira aqui).

Por fim, no dia 17, a administração de Conceição do Araguaia pretende adquirir até R$ 2,918 milhões (Confira aqui) em combustíveis, filtros e óleos lubrificantes para atender a pasta de Educação e Cultura. Todas as prefeituras alegam necessidade de atender a frota que integra o Poder Executivo a qual é utilizada na realização de serviços administrativos de interesse da sociedade.

Publicidade