Pará

Prefeituras do Pará aquecem mercado hoteleiro com milhares de diárias e hospedagens

Pacajá finalizou licitação por R$ 199 mil, enquanto Novo Progresso abre hoje (4) as propostas para gastar até R$ 365 mil com o mesmo serviço. Municípios têm em comum o desmatamento.

A Prefeitura de Pacajá, um dos municípios que mais desmatam atualmente na Amazônia, concluiu licitação, na modalidade de registro de preços, para uma aquisição inusitada: comprar hospedagens de quartos de hotel para casal, duplo e triplo, sob alegações diversas. As informações foram cadastradas ontem (3) no mural de licitações do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) e estão disponíveis aqui.

A administração de Francisco Oliveira, popularmente conhecido por “Chico Tozetti”, resolveu “investir”, até o valor de R$ 424.963,07, para que hotéis forneçam hospedagem a quem esteja no município a fim de participar de alguma programação do governo local. O Blog do Zé Dudu folheou o Termo de Referência do processo licitatório e constatou que os apartamentos precisam ter, no mínimo, banheiro com chuveiro elétrico, ar-condicionado ou central de ar, TV e, opcionalmente, frigobar. Um hotel ganhou a licitação oferecendo R$ 199.021,70 pelos serviços. A aquisição das hospedagens não é imediata e depende de eventuais necessidades da administração de Tozetti.

O governo de Pacajá justifica que a aquisição de serviço de hospedagem de diárias em hotel se deve “em atendimento às necessidades e realização de ações do Gabinete do Prefeito e demandas de demais secretárias e fundos municipais”. A prefeitura estimou 745 diárias em apartamento de casal, 835 em apartamento duplo e 1.193 em apartamento triplo. “As quantidades foram estimadas com base na demanda, considerando-se a média mensal de uso da prefeitura, secretarias e fundos do município”, alega a administração.

Novo Progresso

Outra que está à caça de hotel para diárias de hospedagem é a Prefeitura de Novo Progresso, município também campeão em desmatamento e que ficou de conhecer hoje, quarta-feira (4), as propostas para uma licitação de R$ 364.742,03 com a finalidade de contratar quartos para recepcionar hóspedes. O governo local quer ambientes para até três pessoas com banheiro, TV e ar-condicionado, a fim de atender a demandas de secretarias municipais.

Além de campeões em desmatamento, Pacajá e Novo Progresso possuem indicadores baixos de desenvolvimento humano e arrecadação pequena. A Prefeitura de Pacajá deve encerrar 2019 com arrecadação de cerca de R$ 90 milhões, enquanto a de Novo Progresso fechará o ano com receita de R$ 80 milhões.

Deixe seu comentário