Prefeitura de Parauapebas definirá em um mês empresa que vai detonar viaduto

Recursos para os serviços de demolição são provenientes de condicionantes da construção do ramal ferroviário, da Vale. Multinacional vai arcar com R$ 12 milhões e prefeitura complementa.
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on print

Continua depois da publicidade

Respira por aparelhos o viaduto hoje existente sobre o trecho urbano da PA-275 e que, por muitos anos, é cartão de visitas da entrada de Parauapebas. De hoje (28) a exatamente um mês, a Prefeitura de Parauapebas vai abrir envelopes com propostas comerciais para botar abaixo a estrutura de cimento. As informações foram levantadas pelo Blog do Zé Dudu, que observou a publicação do aviso da concorrência de número 3/2019-029 anunciado pela Comissão Permanente de Licitação (CPL) no Diário Oficial da União (DOU). O aviso pode ser conferido aqui.

A Secretaria Municipal de Obras (Semob) foi quem organizou o edital para os serviços de demolição do viaduto entre as PAs 275 e 160 e a obra de construção do cruzamento em nível e urbanização da área adjacente. O empreendimento é fruto de parceria entre a prefeitura e a mineradora Vale, em razão de condicionantes da construção do ramal ferroviário para atender ao projeto S11D.

A ideia inicial seria de readequação do viaduto, mas após discussão com técnicos da área de infraestrutura a melhor solução encontrada seria detonar o viaduto e criar uma passagem livre, com cruzamento entre as duas rodovias estaduais. De acordo com Wanterlor Bandeira, o aporte da Vale para a obra é de R$ 12 milhões, mas o valor excedente será custeado com recursos do tesouro municipal.

Publicidade