Prefeitura de Marabá cria comissão especial para organizar concurso público

Os sete componentes do grupo terão seis meses para definir quantidade de vagas para cada secretaria municipal
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

Concurseiros de plantão, uni-vos e se debrucem sobre os livros e apostilas. É que o Decreto de número 16 do Gabinete do Prefeito Tião Miranda, de Marabá, institui uma comissão especial para a realização de concurso público. Ele foi publicado ontem, quarta-feira, 18, no Diário Oficial da FAMEP (Federação das Associações Municipais do Estado do Pará).

A referida comissão terá a seguinte composição: José Nilton de Medeiros, secretário Municipal de Administração, como presidente; José Scherer, secretário Municipal de Cultura, como vice-presidente; Jovenilson Mendes Costa, técnico de Informática, como secretário; outra representante da Secretaria Municipal de Administração será Ana Altamatha Ribeiro da Silva, técnica em Administração; Janaina dos Santos da Costa, representante da Secretaria de Saúde; e o diretor de Recursos Humanos da Secretaria de Educação, Ueslei dos Santos Nascimento, representante da Semed.

A Comissão deverá apresentar relatório conclusivo do estudo realizado ao Gestor Municipal, contendo o quantitativo de vagas disponibilizadas em cada cargo por Secretarias, Autarquias e Fundações do Município, e o impacto orçamentário e financeiro oriundos da realização do Concurso Público nº 01/2018, no prazo de 120 dias, a contar da publicação de Decreto. Esse prazo encerra em outubro deste ano, mas o concurso só deve acontecer mesmo no final de 2018 ou início de 2019.

À Comissão Especial compete organizar todas as etapas de realização das provas escritas, apresentação de títulos e deliberar sobre os casos omissos.

O Decreto diz ainda que caso seja contratada empresa especializada, fundação ou autarquia para a elaboração, aplicação e correção das provas, caberá à Comissão Especial a fiscalização da aplicação das provas.

Na hipótese do servidor ser membro da Comissão Especial quando da deflagração de um novo certame, no qual constem cargos que o mesmo tenha interesse em concorrer, deverá solicitar imediato

afastamento, sob pena, de ser impedido de realizar as provas do concurso e sofrer sanções previstas em lei. O desligamento do servidor membro da Comissão de Especial deverá ocorrer 30 dias anteriores à publicação do Edital, perdurando até a homologação do Resultado Final. Os membros da comissão passam a receber 50% a mais de vencimentos até o final dos trabalhos preparativos do concurso, tendo como referência o salário base.

Para cumprir com as suas atribuições, a Comissão terá acesso aos órgãos subordinados à Administração Pública Municipal Direta e Indireta, aos documentos e demais meios instrumentais necessários, pertinentes ao Concurso Público nº 01/2018.

Ulisses Pompeu – de Marabá
Publicidade

Relacionados