Prefeitura de Jacundá pretende gastar quase R$ 700 mil com até 300 defuntos

Governo de Ismael Barbosa fez licitação estimando 150 mortes de adultos e 150 de crianças carentes, num município onde anualmente são registrados 200 óbitos pelos órgãos oficiais.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Flor, caixão e vela preta (ou branca). Sim, é cenário de um velório padrão. E em Jacundá 300 do tipo devem ser custeados pelo governo de Ismael Barbosa, que botou na rua recentemente uma licitação para contratação de empresa responsável por serviços funerários. A meta da Prefeitura de Jacundá é gastar até R$ 673.350,00 com os velórios sociais de 150 adultos e 150 crianças, nisso incluso o cortejo até o cemitério municipal. As informações foram levantadas com exclusividade pelo Blog do Zé Dudu e estão disponíveis no mural de licitações do Tribunal de Contas dos Municípios (veja aqui).

Para chegar à estimativa de preços, o governo de Ismael cotou valores dos serviços em três funerárias. Pela média, a prefeitura pretende gastar R$ 1.900,00 com o velório de adultos, totalizando R$ 285 mil; R$ 1.400,00 com o de crianças, no custo global de R$ 210 mil; e mais R$ 178.350,00 com o traslado. Mas cabe ressaltar que o governo local pode ter superestimado as mortes em Jacundá.

O Blog do Zé Dudu resolveu buscar no Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) os números oficiais de mortes no município. O IBGE tem uma pesquisa chamada “Estatísticas do Registro Civil” por meio da qual divulga, anualmente, o total de nascimentos e óbitos registrados por município no ano anterior ao da divulgação. De acordo com o IBGE, em 2017 — ano mais recente da pesquisa — faleceram 201 pessoas em Jacundá. Os números de 2018 vão ser divulgados nos próximos dias. Desde que foi emancipado, 2017 foi o ano de maior número de óbitos consolidados em Jacundá. Em outra fonte consultada pelo Blog, o Ministério da Saúde, os números revelam que de janeiro a julho deste ano 135 pessoas morreram em Jacundá.

Em justificativa, a Prefeitura de Jacundá diz que o processo licitatório é válido porque o interesse público reside no fato de atender famílias de baixa renda do município, as quais não têm condições financeiras de arcar com custos de funeral de seus entes queridos.

Publicidade