Por R$ 150 mil, programação de carnaval de Marabá é a mais barata do Pará

Do vuco-vuquense Orixifolia, no oeste do estado, à escalafobética Folia de Vigia, no Nordeste Paraense, todas as prefeituras estão gastando mais que a capital do cobre. Se poupar é lei, na festa de Momo Tião é rei.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Várias prefeituras do Pará vão patrocinar um dos festejos que, literalmente, arrastam multidões no ano. A festa de carnaval em 2019 demonstra a retomada das finanças por parte dos governos, que nos últimos tempos vinham se esquivando de gastos com a Folia de Momo em razão da crise financeira que assolou o Brasil e, de quebra, derrubou os repasses a estados e municípios.

O Blog do Zé Dudu percorreu cinco destinos bastante procurados no carnaval e constatou que o de Marabá vai ser o mais barato. O prefeito Tião Miranda, conhecido por seu estilo “mão fechada”, vai soltar apenas R$ 150 mil para custear o evento na quarta mais populosa cidade paraense, onde 220 mil habitantes moraram em pelo menos cinco núcleos urbanos e em cada um dos quais haverá uma folia própria. A programação cultural oficial do carnaval, no entanto, de Marabá acontece entre os dias 2 e 5 de março.

Os R$ 150 mil vão pagar os artistas Joan Nascimento, Forró de Elite, Rodrigo Mendes e Banda Xeiro Verde, todos eles gerenciados pela empresa Max Serviços de Construção Civil e Locações Eireli. Pode parecer estranho, mas a Max Serviços tem, entre suas atividades econômicas secundárias, a montagem de palcos, a organização de festas e a produção musical. O investimento cultural, que não exige licitação, pode ser conferido aqui.

O secretário de Cultura, José Scherer, em justificativa assinada no último dia 6 para a conquista do recurso visando à programação, destacou que é preciso fortalecer o carnaval no município, valorizando e incentivando artistas da terra. Segundo Scherer, a Banda Xeiro Verde, por exemplo, é “uma atração regional de grande prestígio, consagrada pela opinião pública”.

Pelo valor tímido diante da receita da Prefeitura de Marabá, que caminha para atingir a cifra de R$ 1 bilhão nos próximos quatro anos, o carnaval local pode ser considerado o mais barato do Pará. O Blog analisou outros processos de contratação de shows para a folia e constatou que, entre as prefeituras que enviaram informações ao Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) até esta terça-feira (26), a festa marabaense é, de fato, a mais econômica.

R$ 240 mil em Capitão Poço

Maior produtor de laranja do estado e 5º maior do Brasil, Capitão Poço tem preço de carnaval um pouco azedo. A prefeitura local está contratando uma empresa de shows no valor de R$ 122 mil e outra de fornecimento de estrutura (palco e sonorização) por R$ 118 mil. Somando tudo, então, são R$ 240 mil para tocar a festa. Dez atrações vão se apresentar durante quatro dias de folia (entre 2 e 5 de março), e a Secretaria de Cultura, Esporte, Lazer e Turismo local justifica que o impacto do carnaval em Capitão Poço é positivo porque a programação movimenta os setores de hotelaria, comércio, serviços e transportes, fazendo a receita crescer.

Quase R$ 170 mil em Oriximiná

No oeste do Pará, a Orixifolia tem custo de R$ 169,5 mil aos cofres públicos. Oriximiná, que é o segundo maior produtor de bauxita do país e cuja prefeitura é uma das 20 mais ricas do estado graças às receitas advindas da indústria mineral, já teve seu pré-carnaval e agora aguarda ansiosamente pelo dia 2 de março, quando a festa começa para valer e se estende até o dia 5 com shows regionais durante três dias e 12 shows locais no período, até o sol raiar. De acordo com a prefeitura do município “aluminado”, a programação tem em vista valorizar a diversidade cultural, favorecer oportunidade econômica, proporcionar gratuitamente lazer e diversão e usar o movimento cultural como ferramenta de inclusão social.

Ao menos R$ 185 mil em Cametá

Em Cametá, detentor de um dos carnavais mais animados do Pará, o evento vai sair por ao menos R$ 185,5 mil. Mas esse valor é, conforme o Pregão Presencial 1-2019, referente apenas à contratação de empresa de locação de arquibancada coberta em estrutura metálica, camarotes, cabine de imprensa, módulo para jurado, guarda-corpo e banheiros químicos. Não há informações sobre o custo dos shows em si. A Prefeitura de Cametá, com base em dados da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) local, alega que 100 mil turistas visitam o município e fazem circular R$ 4 milhões, o que é revertido em geração de emprego e renda para boa parte da população.

R$ 210 mil em Vigia, no mínimo

Por último, o famoso carnaval de Vigia, um dos mais procurados da Região Norte, vai custar, pelo menos, R$ 210,6 mil. Sim, “pelo menos” porque esse é apenas o valor que a Secretaria Municipal de Cultura de Vigia de Nazaré está gastando com a locação de quatro trios elétricos durante os dias de folia. Ao todo são 20 diárias. Não há informações sobre os custos de atrações artísticas. Ainda assim, a prefeitura afirma que o carnaval da cidade é “um evento grandioso e tradicional”, que se destaca “pela alegria, paz e irreverência dos foliões, especialmente quando se puxados pelo trio”.

Publicidade