Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Canaã dos Carajás

Polo moveleiro de Canaã recebe doação de 500 toneladas de madeira

Repasse foi feito pela mineradora Vale e chega a Canaã com uma nova perspectiva de fomento ao comércio de modo geral

A cerimônia de assinatura do convênio aconteceu na tarde desta sexta-feira (31), na sede da Agência de Desenvolvimento Econômico e Social (Agência Canaã) de Canaã dos Carajás. O momento histórico, fecha em alta o mês de agosto na “Terra Prometida”. Na ocasião, a Vale e a Associação dos Moveleiros, Madeireiros, Serralheiros, Gesseiros e Fabricantes de Pré-Moldados (Asmoserra), além de secretários de governo, presenciaram a formalização do Termo de Cooperação para doação, desta vez, de 500 toneladas de madeira de descarte ou que serviram como embalagens de máquinas e equipamentos utilizados no complexo S11D.

A parceria teve início em novembro do ano passado. De lá para cá, o total de 140 toneladas já foi transformado pelos moveleiros da região em diversos produtos como móveis, portas, cadeiras, camas e guarda-roupas.

O repasse, segundo o secretário de Planejamento, Geam Meirey, chega à cidade trazendo uma nova perspectiva de fomento ao comércio de modo geral. “Para o município, é sempre um ganho muito grande esse tipo de parceria. O convênio vai fomentar um setor que estava passando por dificuldades no município, além de abastecer toda a cadeia econômica, uma vez que, cada setor que a gente consegue fomentar acaba contribuindo para a cadeia como um todo”.

O objetivo da cooperação é apoiar a diversificação econômica no município, o fortalecimento do setor moveleiro de modo legal e a geração de emprego e renda.

Atualmente, a Asmoserra possui 53 associados. Com o repasse da madeira legal, a expectativa é de que cerca de 60 novos postos de trabalho sejam ocupados gerando uma arrecadação de cerca de R$ 700.000,00 ao polo. “A nossa região não tem madeira. Diante da crise em que se encontra o município atualmente, essa quantidade de material vai ajudar bastante o fomento no comércio, principalmente da classe moveleira. A nossa expectativa é que, com essa quantidade de madeira, a gente conseguiu arrecadar mais de R$ 700.000,00, além de gerar em torno de 50 a 60 novos empregos na cidade”, reforçou Gildenor, membro da Associação.

A distribuição do material será feita pela cooperativa e de forma individual aos cooperados. Também ficará a cargo da instituição o processo de fiscalização de produção. “O repasse será feito de forma individual conforme a produção de cada cooperado. O que o associado produzir durante o dia a cooperativa vai passar lá para pegar o relatório. Nós vamos controlar nesse sentido, fazendo o repasse individual e depois retornaremos à cada marcenaria para fazer o relatório”, destacou Gildenor.

À prefeitura, caberá a disponibilização do transporte para o deslocamento da madeira. “É desse tipo de parceria que nós precisamos aqui. Nós precisamos cada dia mais fortalecer essa parceria entre o poder público e a iniciativa privada. O município tem dado total apoio para esse projeto, fornecendo o transporte para a madeira”, concluiu Meirey.

Deixe uma resposta