Polícia

Polícia prende motociclista que participou de ataque a empresário em Marabá

Elizeu Meneses da Silva foi preso pelas polícias Civil e Militar. Foi ele que conduziu Pablo dos Santos, acusado de ter atirado na cabeça do empresário e que está foragido

Já está atrás das grades Elizeu Meneses da Silva, o motociclista que levou Pablo Geovani Ribeiro dos Santos até a ótica do empresário Antônio Cláudio de Oliveira, e lhe deu fuga, após o acusado, na manhã do último 16, ter baleado o comerciante na cabeça, durante tentativa de assalto. A prisão dele aconteceu ontem, quarta-feira (20), e foi resultado de trabalho conjunto das polícias Civil e Militar.  Pablo dos Santos é, segundo a polícia, fugitivo da Penitenciária Agrícola Mariano Antunes (Crama), em Marabá.

O delegado Vinicius Cardoso, diretor da 21ª Seccional de Polícia Civil, contou que a descrição da moto, que tem algumas caraterísticas peculiares, por testemunhas que lembraram dos detalhes, foi o que ajudou a localizar Elizeu Silva por meio de câmeras de monitoramento. A descrição da roupa que o motociclista usava no dia do assalto seguido de tentativa de homicídio também foi importante na localização dele.

Uma testemunha identificou Pablo, por meio de fotografias e confirmou que foi ele quem atirou em Antônio Cláudio Oliveira, que passu por cirurgia no Hospital Regional de Marabá, onde continua internado em estado delicado.  

Na noite desta quinta-feira (21), o Sindicato do Comércio de Marabá e seus associados se reúnem com os representantes da Policia Militar, Policia Civil, Ministério Público Estadual, Secretaria de Segurança do Município e com o secretário Regional de Governo João Chamon Neto a fim de tentar encontrar uma solução para a onda de assaltos que há bastante tempo assola o comércio de Marabá, sobretudo no Núcleo Cidade Nova, e que agora chegou ao seu ponto mais agudo, com o quase assassinato de um comerciante.      

A polícia solicita a quem souber a localização de Pablo Geovani Ribeiro dos Santos que ligue ao Disque-Denúncia

(94) 3312-3350 e WhatsApp (94) 98198-3350. A fonte das informações é mantida sob o mais absoluto sigilo.

Por Eleuterio Gomes – de Marabá

Deixe seu comentário