Polícia prende em flagrante acusados de matar e queimar homem em Santa Maria das Barreiras

Os assassinos teriam matado a vítima, de forma cruel, porque ela teria subtraído um pertence de um deles. O corpo foi queimado em uma área de plantação de soja, no Distrito de Casa de Tábuas
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Em um trabalho rápido de investigação, a Polícia Civil, com o apoio da Polícia Militar, prendeu, em flagrante, dois homens acusados de matar e queimar o corpo da vítima, identificada como Claudionor de Amorim, de 31 anos. O crime aconteceu no último domingo (31) em uma propriedade rural do Distrito de Casa de Tábuas, em Santa Maria das Barreiras, no sul do Pará.

Segundo a Polícia Militar, assim que o crime foi comunicado, uma guarnição, junto com uma equipe da Polícia Civil, seguiu para a localidade, conhecida como fazenda Terra Roxa. Ao chegar ao local, o gerente da fazenda e outros trabalhadores da propriedade informaram que um dos suspeitos, identificado como Wanderson Lopes dos Santos, estava dentro da sede do imóvel.

A equipe foi até o local e o prendeu. Ainda na fazenda, a polícia recebeu a informação que o segundo acusado, Jorberson Diniz Abreu, tinha fugido para Redenção, também no sul do estado.

Imediatamente o caso foi comunicado à Delegacia de Redenção e solicitado apoio para prendê-lo. Agindo rápido e com base nas informações recebidas, os policiais localizaram a residência de Wanderson, que foi encontrado ainda completamente alcoolizado.

A vitima foi morta e teve o corpo queimado em uma plantação de soja. De acordo com o tenente Evair, da Polícia Militar, que participou das diligências, foi o primeiro acusado preso que informou onde estava o corpo de Claudionor.

Ainda segundo o tenente, informações colhidas no local e que estão sendo apuradas, apontam como motivação do crime um possível furto pela vítima de um objeto de um dos acusados. “As informações estão sendo apuradas e vão apontar o que realmente aconteceu, que motivou esse crime com requintes de crueldade”, ressaltou o tenente.

(Tina DeBord)