Polícia Militar manda para a cadeia mais um trio de assaltantes em Parauapebas

Os três estavam aterrorizando nas ruas do Bairro Vila Rica, onde atacava os transeuntes
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

A Polícia Militar prendeu em Parauapebas, na madrugada desta sexta-feira (15), no Bairro Vila Rica, Erlan Pena Gomes, Malaquias Lobato Rodrigues e Kainā Sousa da Silva. Eles são acusados de cometerem nas ruas da cidade, armados de revólver.

De acordo com o sargento Aurélio, a guarnição comandada por ele foi comunicada pelo Centro de Controle Operacional (CCO) de que três assaltantes estavam atacando transeuntes e se dirigiu ao local indicado pelos denunciantes.

Tão logo a guarnição chegou ao bairro os PMs avistaram os três acusados, identificados segundo a descrição passada pelo CCO. Assim que viram o veículo policial, os indivíduos saíram correndo e ainda fizeram três disparos contra os policiais, que também atiraram na direção do trio.

Depois disso, os três assaltantes fugiram pulando os muros das casas e desapareceram. Imediatamente, o sargento Aurélio solicitou apoio do Grupamento Tático Operacional (GTO) e da Ronda Ostensiva com Apoio de Motos (Rocam), para prender os bandidos.

Todos passaram a fazer uma varredura pelo bairro e o primeiro a ser localizado e preso foi Kainã Sousa da Silva, com quem foi encontrado um revólver calibre 22, com três munições intactas e três deflagradas.

Interrogado sobre o paradeiro dos colegas de crime, ele não titubeou em informar que eles estavam escondidos na casa de uma tia, próximo de uma chácara conhecida nas redondezas. No endereço indicado, os PMs prenderam Erlan Pena Gomes e Malaquias Lobato Rodrigues.

O trio foi levado para a 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil e entregue aos policiais de plantão. Kainã da Silva é tido como parceiro de um marginal considerado muito perigoso, preso recentemente por tráfico, conhecido como “Beré” que seria integrante de fação criminosa e era procurado pela Polícia Civil.

(Caetano Silva)

Publicidade

Relacionados