Polícia Militar está em fase de conclusão de compras de armas para renovar arsenal

Nesta sexta-feira (11), foi publicada no Diário Oficial do Estado a ata de registro de preço. A corporação pode fazer a aquisição de até 8.750 unidades da pistola calibre .40, junto à empresa de armamentos austríaca Glock
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Novas armas irão modernizar arsenal da PM

Continua depois da publicidade

Foi publicado no Diário Oficial do Estado nesta sexta-feira (11), a ata de registro de preço, válida por um ano, possibilitando a Polícia Militar, no mesmo prazo, fazer a aquisição de até 8.750 unidades  da pistola  calibre .40, junto à empresa de armamentos austríaca Glock. O processo de compras de armas para renovar o arsenal da corporação começou em novembro de 2019, quando foi lançado o edital, ocorrendo à disputa entre a austríaca Glock e a italiana Beretta.

Segundo a PM, na disputa, a fábrica italiana ofereceu a melhor proposta, porém acabou reprovada nos testes de avaliação técnica, assim foi convocada a segunda colocada, Glock, que foi aprovada passando-se à  negociação de valores. O processo ficou paralisado entre os meses de março e abril, por conta da pandemia do novo coronavírus, sendo retomado em  junho, quando foi finalizado.

Na avaliação do tenente coronel Nelson Alves de Sena, Presidente da Comissão Permanente de Licitação (CPL), o novo armamento apresenta várias vantagens, no que diz respeito à tecnologia do equipamento e na eficiência no gasto público. “Gastando-se menos, pode-se obter um produto de maior qualidade. Outro aspecto de vantagem é que a arma permitirá a utilização da munição de mesmo calibre da usada atualmente pela corporação”, explica o oficial.

Segundo o comandante geral da PM, coronel José Dilson Melo de Souza Júnior, esse processo realizado no âmbito internacional  possibilitará que a PM utilize a mesma arma já usada pelas principais forças policiais do mundo. “Esse foi o primeiro processo dessa magnitude feito pela PM, de caráter internacional. É uma mudança de paradigma, no que diz respeito ao armamento de porte a ser utilizado pela instituição. A pistola vencedora é um armamento mais moderno em comparação ao que usamos hoje. Agora teremos um armamento com tecnologia em pé de igualdade com as principais forças de segurança do mundo, como EUA, Europa e América do Sul”, destaca o comandante.

Ele ainda pontua que esse mesmo tipo de armamento é usado Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, PM de São Paulo e de algumas outras instituições no Brasil. Os próximos passos agora são a disponibilização de orçamento pelo governo do estado e assinatura do contrato.

Depois essa etapa, em 90 dias a empresa deverá providenciar a logística de entrega dos lotes das armas à PMPA.

(Tina Santos- com informações da Polícia Militar)

Publicidade