Polícia Civil: Operação Gold Land realiza prisões em Tucumã e Ourilândia

Funcionários da Ciretran/Detran e empresários são investigados pelos crimes de associação criminosa, corrupção passiva, com inserção de dados falsos no sistema
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Foram presas nesta terça-feira (4), em Tucumã e Ourilândia do Norte, pela Polícia Civil, como parte da Operação Gold Land, seis pessoas acusadas de participação em um megaesquema de fraudes na Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran) de Ourilândia e outras cidades da região. Os presos são funcionários públicos e empresários, investigados pelos crimes de associação criminosa, corrupção passiva, inserção de dados falsos no sistema, corrupção ativa e posse ilegal de arma de fogo. A operação também aconteceu em Belém e Ananindeua.

“Essas prisões significam a quebra de uma cadeia criminosa, culturalmente alicerçada nos órgãos de trânsito do estado do Pará. E significa um verdadeiro paradigma, tendo em vista a custódia de agentes políticos e empresários que atuam em fraudes veiculares,” informou o delegado João Costa, titular da Delegacia de Repressão a Roubos e Furtos de Veículos (DRFV).

Mercado clandestino

As investigações começaram em junho de 2020, após a prisão de dois servidores da Ciretran de Ourilândia do Norte, Renildo da Silva e Marcondes Ferreira Neves, que praticavam o crime de inserção falsa nos sistemas da administração.

Com o trabalho investigativo foi possível identificar um grupo criminoso acusado de cometer inúmeras fraudes veiculares em órgãos de trânsito do Pará, os quais funcionariam como mercado clandestino de operações, inclusive com uma tabela de preços para despachantes, empresários e populares.

Durante as buscas domiciliares foram apreendidos aparelhos celulares, cheques, computadores, pen-drives, munições de vários calibres e armas de fogo que estavam em posse dos acusados. Após as prisões, os indiciados prestaram depoimentos na Unidade Policial, e estão à disposição da Justiça.

Armas apreendidas na operação

A ação contou com apoio do Núcleo de Inteligência Policial, Diretoria de Polícia do Interior, Diretoria de Polícia Especializada e Inteligência do Departamento de Trânsito do Estado do Pará (Detran/PA).

Em Ourilândia, o delegado João Costa disse ao Blog que os integrantes dessa quadrilha, primordialmente, são servidores do Detran, despachantes e empresários do ramo de veículos que solicitam serviços ilícitos no Detran, “onde era realizado um verdadeiro comércio ilegal dos serviços prestados, como transferência de propriedade, vistoria”. 

“Os acusados acabavam movimentando vultosas quantias – nós conseguimos identificar uma grande quantidade de dinheiro,” revelou ele.  

Os presos 
  • Walto Santos Cunha, vereador pelo MDB, em Ourilândia (prisão preventiva, busca e apreensão e flagrante por posse ilegal de arma de fogo);
  • Luiz Augusto dos Santos Gomes (prisão preventiva e busca e apreensão);
  • Wagner José Faustino (prisão preventiva e busca e apreensão);
  • Romes de Souza Guimarães prisão preventiva e busca e apreensão).
Alvos de Mandados de Busca e Apreensão
  • Marcondes Ferreira Neres (preso em junho de 2020);
  • Marcelo de Farias Rodrigues;
  • Renildo da Silva (preso em junho de 2020);
  • Fabrício Calio Galvão Ferreira;
  • Rodrigo Carvalho de Souza; e
  • Natany Oliveira Rodrigues.
(Com informações da Polícia Civil e do repórter Jucelino Show, de Tucumã)
Publicidade