Polícia Civil caça pistoleiros que executaram investigador

O crime ocorreu em Acará, onde o policial pretendia concorrer a uma vaga de vereador
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Investigador Arnaldo Alves

Continua depois da publicidade

Policiais civis de cinco divisões e da Superintendência Regional do Baixo Tocantins estão em campo desde a noite de ontem, segunda-feira (27), à caça dos assassinos do investigador Arnaldo Alves Pereira. Ele foi executado porta de casa, no município de Acará, no nordeste do Estado, por dois homens que chegaram em uma motocicleta.

Ele estava afastado da polícia, por ter se desincompatibilizado do cargo para concorrer, nas eleições deste ano, a um mandato de vereador na Câmara Municipal de Acará. Os atiradores miraram a cabeça do policial e dispararam vários tiros.

Equipes da Diretoria de Polícia do Interior (DPI),  Núcleo de Inteligência Policial (NIP), Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (CORE), Divisão de Homicídios de Agentes Públicos (DHAP), Divisão de Homicídios, Superintendência Regional do Baixo Tocantins e Núcleo de Apoio Inteligência (NAI) de Abaetetuba realizam diligências para localizar e prender os autores dos disparos que vitimaram o policial.

Publicidade