PISO SALARIAL DOS PROFESSORES

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

A lei que institui o piso salarial dos profissionais do magistério, sancionada hoje pelo Presidente da República, exigirá dos municípios um gasto adicional de R$ 1,8 bilhão. A estimativa foi feita pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) com base em uma pesquisa que considerou as médias salariais de 512 municípios brasileiros. Entre os professores com formação de nível médio e jornada de 40 horas encontrou-se uma média salarial de R$ 760,21. Pelo novo piso, esses professores deverão receber cerca de R$ 1.000,00 em 2009.

Do custo adicional de R$ 1,8 bilhão, os municípios terão de arcar, já em 2009, com R$ 1,2 bilhão para garantir que sejam pagos 2/3 da diferença entre o valor atual dos salários e o valor do piso. Desse valor de 1,2 bilhão, a União entrará com ajuda financeira de, no máximo, R$ 450 milhões, ou seja, os municípios arcarão com cerca de R$ 800 milhões para garantir o piso salarial aos professores.

A proposta foi intensamente discutida no Congresso Nacional e a CNM participou ativamente dos debates e sempre reconheceu a necessidade de melhorar a remuneração dos professores. Porém, mesmo reafirmando a importância do piso salarial e preocupada com o impacto que a proposta representava para os municípios apresentou várias emendas ao projeto de lei na Câmara dos Deputados.