Pessoas abrigadas no estádio Mangueirão jogam bola no espaço embaixo da arquibancada

Um vídeo que circula nas redes sociais acabou viralizando e vem causando polêmica
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O governador do estado do Pará, Helder Barbalho, através de coletiva, pediu a liberação do estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, em Belém, para abrigar pessoas em situação de rua e vulnerabilidade social da capital paraense, em combate à pandemia do coronavírus. Desde a manhã do último domingo (22), várias pessoas foram se abrigando nas dependências do estádio.

Nesta segunda-feira (23), um dia após o abrigo coletivo, um vídeo começou a ser divulgado em redes sociais e logo viralizou; nele, aparecem as pessoas já instaladas nas dependências do estádio, jogando futebol. O vídeo mostra homens jogando partidas realizadas embaixo da arquibancada do estádio, em uma das quadras de salão.

A repercussão está grande entre os internautas e gerando polêmica, com alguns defendendo a ideia de que é uma boa ocupação para os moradores de rua, uma prática esportiva dentro do estádio e outros discordando da ideia pelo fato de estarem se expondo ao risco do contato físico em tempo de pandemia, até porque o governo sugeriu a saída das pessoas das ruas para se protegerem da Covid-19.

A imagem mostra que nenhum morador de rua que participa dos jogos usa máscara de proteção, sendo assim, estão propícios a pegar alguma virose ou outras doenças. O novo coronavírus é transmitido por contato próximo e, em uma partida de futebol, o contato é inevitável. Até o momento, a Secretaria de Comunicação do Governo do Estado do Pará (Secon), ainda não divulgou nenhuma nota discutindo o ocorrido.

Na última atualização da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), desta quarta-feira (25/03), sete casos de coronavírus foram registrados no Pará, sendo 260 casos descartados, e outros 133 em análise. Os últimos dois casos foram registrados na cidade de Ananindeua. Segundo a Sespa, uma mulher de 35 anos, que viajou para São Paulo, Rio Grande do Sul e Distrito Federal, voltou ao estado do Pará infectada e passou o vírus para o esposo, de 42 anos. Ambos estão bem e em isolamento domiciliar.

Por Fábio Relvas

Publicidade

Posts relacionados