Pedral do Lourenço: ministro da Integração e do Transporte assinam contrato e ordem de serviço para a realização do estudo e projeto da obra

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Pedral-do-Loureno2_thumbAmanhã (16), o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, e o ministro dos Transportes, Maurício Quintella, vão assinar  a ordem de serviço para a realização do estudo e projeto da obra de derrocamento do Pedral do Lourenço, ao lado prefeito de Itupiranga, Benjamim Tasca, e autoridades da região. A cerimônia acontece às 11h na orla da cidade de Itupiranga e, às 14h, no Parque de Exposição de Marabá.

A obra consiste no desgaste do pedral que impede a passagem de comboios de carga no período em que o rio fica mais raso, geralmente entre os meses de setembro e novembro. De acordo com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), o custo apresentado 7,15% menor do que o esperado para obra, o que representa uma economia de R$ 40 milhões.

Sobre o Pedral

Localizado entre a Ilha do Bogéa e Santa Terezinha do Tauri, no Pará, o Pedral do Lourenço tem 43 quilômetros de extensão. Com o seu derrocamento, a expectativa é que o tráfego de embarcações e comboios seja continuamente viável em um trecho de 500 km que vai de Marabá até o porto de Vila do Conde, em Barcarena.

Com o funcionamento da hidrovia, o escoamento da produção agrícola, pecuária e mineral dos estados do Pará, Tocantins, Goiás e Mato Grosso poderá ser feito pelo porto de Vila do Conde, que tem capacidade operacional estimada pelo DNIT em 20 milhões de toneladas para o ano de 2025.

Uma das razões para a utilização da hidrovia é o benefício econômico e ambiental, já que um comboio de 150 metros de comprimento trafegando pelo rio tem a mesma capacidade de carga de 172 carretas transportando 35 toneladas.

Amanhã, depois da assinatura do contrato, para fomentar a discussão no blog, trataremos sobre os impactos ambientais que a obra provocará.