PDMP define que Parauapebas tem 42 bairros divididos em 12 regiões urbanas e duas comerciais

Segundo o Plano Diretor, instituído pela Lei Complementar nº 24/2021, Parauapebas ficou dividida em 12 regiões porque Carajás está classificada como região administrativa
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Criado pela Lei Complementar nº 24/2021, de iniciativa do Poder Executivo e que foi publicado no dia 5 de janeiro deste ano, o Plano Diretor do Município de Parauapebas (PDMP), regulamentado pela chamada Lei dos Bairros, responsável por apresentar os memoriais descritivos de cada bairro delimitado no município, definiu que a Capital do Minério tem 42 bairros divididos em 12 regiões urbanas e duas comerciais.

As comerciais são a FAP e o Polo Moveleiro. A Lei Complementar permite à prefeitura traçar perfil das potencialidades socioeconômicas e ambientais do seu território e avançar com projetos principalmente sobre áreas mais carentes.

“Essa lei define onde começa e onde termina cada bairro, informação que a gente não tinha. Foi criado o que chamamos de linha imaginária, que é o zoneamento dos nossos bairros”, explica a coordenadora de Planos Institucionais da secretária Especial de Governo (Segov), Lauriane Rodrigues.

Ela detalha que Parauapebas ficou dividida em 12 regiões já que Carajás está definida como região administrativa, porque o município presta serviços lá. “Aliás, esse foi um ponto de ampla discussão”, observa Lauriane.

No Plano Diretor foram criadas ainda cinco regiões rurais e seis regiões comerciais industriais. Com a Lei dos Bairros, o município foi dividido em cinco zonas (norte, nordeste, central, sudeste e sul) e os bairros foram delimitados.

No complexo VS-10, zona sul de Parauapebas, onde quase todo loteamento era considerado um bairro, agora está dividido em seis bairros: Parque das Nações, São Lucas, Brasília, Morada Nova, Jardim Planalto e Jardim América. Na zona norte do município, o Popular I e II, Morar Dias Melhores e Residencial Amec Ville fazem parte do Bairro Habitar Feliz, assim como o Jardim Tropical I e II e o Jardim Ipiranga compõem o Bairro Tropical.

Segundo a Segov, com a reorganização do município, agora delimitado por zonas, regiões e bairros, a prefeitura tem condições de traçar o perfil socioeconômico e ambiental de cada área da cidade e, a partir daí, desenvolver projetos direcionados para cada bairro a fim de desenvolver Parauapebas de forma igualitária.

Pelo artigo 10 do Plano Diretor, o Programa de Reestruturação Urbana “buscará a requalificação de bairros, periferias e agrupamentos urbanos que se encontram com infraestrutura inadequada ou carentes de atividades econômicas e serviços públicos”.

Por Tina DeBord