Parauapebas: UVZ discute com ONGs projeto de controle populacional de animais

O município, que conta com um “Castramóvel”, vai intensificar as ações para o controle populacional de cães e gatos, objetivando reduzir o número de animais que acabam abandonados nas ruas da cidade e combater doenças, como a Leishmaniose e a raiva
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

A Unidade de Vigilância em Zoonoses (UVZ) de Parauapebas vem discutindo com as Organizações Não Governamentais (ONGs) que atuam no acolhimento e cuidados com animais de rua sobre o projeto de Controle de População Animal. O objetivo é esclarecer dúvidas sore o processo de castração, assim com a identificação de doenças, como a leishmaniose e falar sobre a estratégia para realização de castração na Unidade Móvel Veterinária, o “Castramóvel”.

Também está sendo apresentado às organizações o projeto do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) e do plano de trabalho que será realizado no ano de 2021. Segundo a diretora de Vigilância em Saúde (Visa), Michele Ferreira, a UVZ vem realizando parcerias com as ONGs e constantemente são feitas castrações em cães e gatos.

“Antes da chegada do Castramóvel foram realizadas 738 castrações no ano de 2020. Com a chegada do veículo adaptado foram mais 171 castrações realizadas, totalizando 972”, informa Michele Ferreira.

De acordo com secretário municipal de Saúde de Parauapebas, Gilberto Laranjeiras, o veículo móvel possibilita realizar ações em bairros da cidade e em localidades da zona rural. “O Castramóvel é um veículo adaptado, climatizado e revestido por material lavável e impermeável, dispondo ainda de duas mesas cirúrgicas, ar condicionado e um lavatório. Desde a sua aquisição, já foram realizadas quatro ações experimentais passando por localidades como a APA Igarapé Gelado e complexo VS-10, pois o objetivo é levar o atendimento itinerante, ampliando a oferta de castração gratuita, circulando em bairros que possuem maior vulnerabilidade social e vilas rurais”, destaca Laranjeiras.

Representando a ONG Apama, Clenilton elogiou a iniciativa da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) e falou da importância dessas reuniões. “Eu estou muito feliz com essa atitude da Vigilância. Precisávamos disso, desses esclarecimentos, até mesmo pra poder repassar as informações para a população da zona urbana e da zona rural”, ressaltou.

De acordo com a UVZ, a castração é a mais importante e eficaz medida de controle populacional para animais domésticos. Ela evita a reprodução desenfreada, reduz os casos de abandono e a quantidade de animais nas ruas, assim como causa impacto positivo na saúde pública, pois com menos animais se reproduzindo e abandonados, fica mais fácil combater as zoonoses.

Por Tina DeBord