Parauapebas segue Belém de perto em arrecadação de ICMS

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

ICMSNa edição desta segunda-feira (16) do Diário Oficial do Estado do Pará, o secretário de Estado da Fazenda, Nilo Emanoel Rendeiro de Noronha, publicou os valores das quotas do ICMS aos municípios, para o período de 01 a 31 de outubro de 2015. O valor total para o estado é de R$ 208.978.927,10.

Desse total, 20% devem ser destinados ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), o que totaliza R$ 41.795.785,43 em todo o estado para o período. Em comparação a outros municípios da região de Carajás, Parauapebas, com R$ 35.338.336,57, foi o maior arrecadador de ICMS do mês.

Já em relação ao restante do estado, ficou atrás somente de Belém. A capital paraense recebeu R$ 37.072.861,67 em outubro.

Quotas do ICMS dos municípios da Região de Integração de Carajás

Bom Jesus do Tocantins: R$ 397.059,96

Brejo Grande do Araguaia: R$ 292.570,50

Canaã dos Carajás: R$ 5.955.899,42

Curionópolis: R$ 647.834,67

Eldorado: R$ 564.243,10

Marabá: R$ 10.260.865,32

Palestina do Pará: R$ 250.774,71

Parauapebas: R$ 35.338.336,57

Piçarra: R$ 543.345,21

São Domingos do Araguaia: R$ 417.957,85

São Geraldo do Araguaia: R$ 731.426,24

São João do Araguaia: R$ 313.468,39

O ICMS

ICMS IIO Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS) é um imposto brasileiro, e cada estado possui uma tabela de valores.

O ICMS está presente na Constituição Federal de 1988, e somente os governos dos estados podem instituí-lo ou alterá-lo. O objetivo do ICMS é apenas fiscal, e o principal fato gerador é a circulação de mercadoria, até mesmo as que iniciam no exterior. O ICMS incide sobre diversos tipos de serviços, como telecomunicação, transporte intermunicipal e interestadual, importação e prestação de serviços, e etc.

Todas as etapas de circulação de mercadorias e em toda prestação de serviço estão sujeitas ao ICMS, devendo haver emissão da nota fiscal. Em alguns estados, o ICMS é a maior fonte de recursos financeiros.

Relacionados