Parauapebas: Por conta da pandemia, Campanha de Aleitamento Materno será por live

A programação celebra a Semana Mundial de Aleitamento Materno, que vai do dia 1 a 7 de agosto, e visa chamar a atenção para a importância e estimular a amamentação, observando que o leite materno deve ser o principal alimento do bebê nos primeiros seis meses de vida
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Devido às restrições impostas em prevenção à pandemia do novo coronavírus, este ano a Campanha de Aleitamento Materno será por meio de live em Parauapebas. A campanha celebra a Semana Mundial de Aleitamento Materno, que acontece 1 a 7 de agosto.

Este ano, a Semana Mundial de Aleitamento Materno tem como tem “Apoiar a Amamentação para um Planeta mais Saudável”. Em Parauapebas, a campanha é realizada pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), por meio da Rede Cegonha.

Além de atender ações voltadas à criança na tentativa de reduzir a mortalidade infantil, a programação tem como objetivo disseminar informações com ações educativas para profissionais de saúde e população em geral via redes sociais e unidades de Saúde. Como forma de evitar aglomeração em atendimento às recomendações preventivas ao novo coronavíruas, que ainda apresenta alto grau de contaminação em Parauapebas, a programação será virtual.

Serão transmitidas duas lives sobre o tema pela fanpage da Prefeitura no Facebook nos dias 4 e 6 de agosto. A campanha mundial de aleitamento materno visa chamar a atenção e estimular a amamentação, alimento vital para o bebê nos seus primeiros meses de vida.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o leite materno é ideal para o crescimento saudável e desenvolvimento da criança, porque fornece toda a energia e os nutrientes que o recém-nascido necessita nos primeiros meses de vida.

Benefícios do aleitamento materno:

· É fácil de ser digerido e provoca menos cólica no bebê;

· Colabora para a formação do sistema imunológico da criança, previne alergias, obesidade e intolerância ao glúten;

· O momento da amamentação aumenta o vínculo entre mãe e filho, e colabora para que a criança se relacione melhor com outras pessoas;

· Previne a anemia;

· A sucção ajuda no desenvolvimento da arcada dentária do bebê;

· Quando o ômega 3 está presente no leite materno, o que varia de mulher para mulher de acordo com sua alimentação, ele ajuda no desenvolvimento e crescimento dos prematuros nos primeiros meses de vida; e

· Bebês que mamam exclusivamente no peito até os seis meses têm menos risco de desenvolver asma e artrite reumatoide e recebem uma proteína que combate vírus e bactérias do trato gastrointestinal.

Benefícios para mães

· Ajuda no desprendimento da placenta, contribuindo para a volta do útero ao tamanho normal. Com isso, também evita o sangramento excessivo e, consequentemente, que a mãe sofra de anemia;

· Protege a mãe contra o câncer de mama e de ovário;

· Estudo publicado no American Journal of Obstetrics revela que a amamentação reduz o risco de a mulher desenvolver síndrome metabólica (doenças cardíacas e diabetes) após a gravidez, inclusive para aquela que teve diabetes gestacional;

· A amamentação dá às mães sensações de bem-estar, de realização, e também ajuda a emagrecer, pois consome até 800 calorias por dia;

· É natural, prática, e não desperdiça recursos naturais;

· O leite materno está sempre pronto para ser transportado e ingerido (não precisa nem aquecer); e

· Protege a mãe contra doenças cardiovasculares. 

(Tina Santos – com informações da Ascom PMP)

Publicidade