Parauapebas parou: estudantes exigem universidade

Continua depois da publicidade

Parauapebas uma cidade que cresce mais que o Japão, tem grande influência na balança comercial do País, tem o PIB (Produto Interno Bruto) maior que o Rio de Janeiro, a maior mina de ferro a céu aberto do mundo, a segunda maior economia do estado do Pará, perdendo apenas para a capital Belém; com todos esses potenciais e tantos outros, deixou de receber um campus da UNIFESSPA (Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará) e, segundo autoridades locais, a justificativa apresentada pelo MEC, através do Secretário de Ensino Superior, Luis Cláudio Costa, foi devido à proximidade com a cidade de Marabá, onde será instalado o campus-sede da mesma.

Não podemos nos calar diante tal descaso, desse desrespeito e dessa insensibilidade!  E, no intuito de reafirmar nossa necessidade e sensibilizar os senhores e senhoras vereadores e vereadoras e à sociedade em geral, e demonstrar nossa indignação pela perda do campus da UNIFESSPA, o MOVIMENTO PRÓ-CRIAÇÃO DO CAMPUS DA UNIFESSPA em Parauapebas vem ganhando forças, reunindo-se com os movimentos e entidades da sociedade civil e autoridades locais, para mobilizar toda a cidade e convidá-la a participar do movimento e contribuir com nosso Abaixo Assinado em favor da instalação do nosso campus universitário.

Nosso primeiro ato de revolta diante desta situação foi uma grande mobilização de estudantes, que aconteceu no dia 30 de Agosto de 2011, quando houve ato público, com a paralisação da Sessão da Câmara de Vereadores de Parauapebas. Na sessão foi entregue a pauta de reivindicações dos estudantes e foi discutida a situação das escolas públicas estaduais e a qualidade da educação em nossa cidade e, sem perder o foco, discutimos o assunto central: a criação do CAMPUS DA UNIFESSPA EM PARAUAPEBAS.

Então, os estudantes saíram da sede do Legislativo Municipal, em direção à Rua 10, fazendo a rotatória pela Rua E, subindo a Rua 5, voltando pela PA-275 até chegar à Rua 10 novamente. Nesse momento, os participantes fizeram um grande circulo e, de mãos dadas, fecham os cruzamentos das ruas F, PA 275 e E, por 30 minutos, e explicando aos transeuntes e condutores de veículo o que estava acontecendo e aproveitando a oportunidade para colher mais assinaturas.

Após os 30 minutos, os estudantes retomaram a passeata pela PA 275 e retornaram à Câmara, a fim de cobrar e ouvir a posição dos vereadores e vereadoras sobre a pauta anteriormente entregue. Então, alguns representantes dos estudantes, em meio a toda essa agitação, entre aplausos e vaias, foi avaliada a dimensão e a importância de sua luta. Com forças redobradas, pelo evidente apoio da população à sua mobilização, os estudantes declararam-se dispostos a só nos parar quando obtiverem sua vitória: “UMA UNIVERSIDADE DIGNA PARA TODOS!!!”.

“Nós, estudantes, já consideramos uma grande vitória parar nossa cidade por alguns minutos. Mas, foi apenas a primeira de muitas! E convidamos toda sociedade de Parauapebas para participar de luta, pois, esta é uma conquista para o nosso presente e para o futuro de nossas próximas gerações. Aliás, para muitas gerações! Precisamos garantir um futuro melhor para nossa cidade”, declarou Rebeca Valquíria, uma das organizadoras do movimento.

16 comentários em “Parauapebas parou: estudantes exigem universidade

  1. FãDoZé Responder

    Zé, o Produto Interno Bruto (PIB) de Parauapebas não é e nunca foi maior que o do Rio de Janeiro (nem do estado nem do município). O PIB per capita parauapebense, sim, é maior que o carioca e, também, que o fluminense. A capital do minério, a saber, é a 66ª economia do país, com PIB de R$ 6,57 bilhões, enquanto a penúltima capital do Brasil é a 2ª praça financeira do país, com R$ 154,78 bilhões em PIB, sendo também a 7ª cidade mais rica das Américas, atrás de Nova Iorque, Los Angeles, São Paulo, Cidade do México, Buenos Aires e Chicago.
    Abraços.

  2. Elton. União Brasileira dos Estudantes Secundaristas Parauapebas Responder

    E quem falou que nos não tocamos no assunto do sucateamento das escola do estado, tocamos sim e estar em plena organização uma ocupação da 4º URE de Maraba Coordenada pela UBES diretoria regional, para responder os questionamento dos professores, na Ultima segunda feira eu estive reunido com o secretario estadual de educação e protocolei uma pauta de revindicação dos estudantes, e deixei bem claro que se por caso nossas revinicações não forem atendidas faremos uma ocupação de estudantes na ure e so sairemos de lá depois que nossas revinidicações forem acatadas. sobre a mobilização foi meio improvizada mais deu tudo certo.

    Esse recardo vai para os diretores e professores que agora estão comprados com cargos do governo do estado estão impedido os alunos de rebelarem e ir atras dos seus direitos em algumas escolas estaduais que ainda estão na epoca da ditadura militar, Não nos rebaxaremos e ja mais deisistiremos de lutar pelos nosso direitos, não adianta fechar a porta das escolas na nossa cara por que não entramos fisicamente, mais nossas ideais serão sim divulgados entre os alunos por que somos e seremos sempre Uma Rebeldia Consequente, Um desafio com causa, Uma Aventura Aconselhavel a todos estudante de Parauapebas.

    Amanhã Estarei junto com o Alberto companheiro nosso do Coletivo Rebele – se Na UBES da Escola Irmã Dulce Viajando a Brasilia Para Participar Representando o Municipio de Parauapenas No CONEG – Conselho Nacional de Entidades Gerais da UBES. na oportunidade estaremos conversando com o atual presidente da UBES Yan Evanovic e Daniel Iliesco Presidente da UNE, pedindo apoio em prol da UNIFESSPA, por a nossa entidade tem uma força politica muito forte, e tambem colheremos assinaturas, so pra vocês term uma ideia enquanto escrevo esta mensagen tem exatamente mais de 10 estudantes de todo o pais reunidos em Brasilia.

    Veja a cobertura do coneg pelo Sitio http://www.une.org.br

    Ps: Alguns Idiotas falam que eu não sou estudante ai para esses ingnorantes, eu estudo, Escola Estadual de Ensino Medio Marluce Massariol ( Escola Sede da UBES )o 2º Ano E Tarde.

  3. Vicente Reis Responder

    O professor Marcos cometeu 4 erros de português em sua frase, mas o conteúdo de seu discurso é sim, muito interessante. Babaquice é vir aqui pra zoar a escrita do cara em vez de se ater ao tópico em discussão.

    Marcos, preste atenção ao que escreve. Quando você opta por colocar Professor na frente do seu nome, isso te traz certa responsabilidade, não é mesmo?

    Quanto ao post “construtivo” do Sérgio… no comments (o MOBRAL não existe mais há anos)

    Mas é uma questão interessante, não? A maioria desses garotos não passaria num vestibular se as provas para a UNIFESSP fossem hoje. O nível aqui anda lá embaixo. #fato

  4. Sérgio Responder

    Sugiro primeiramente a instalação de um MOBRAL e que o 1º aluno seja o professor Marcos. Realmente, com um professor desses, não dá pra almejar nada, quiçá universidade. Lamentável

  5. Thyago Responder

    Hum.. o comentário desse ZÉ BAIANO.. é muito sem noção… a educação municipal.. premiada como você comentou vai até o ENSINO FUNDAMENTAL… 8ª série (9º ano), até ai tudo bem.. com as escolas recebendo alunos todos os dias.. com professores com formação continuada e escolas de todos os segmentos… Agora me aponte o nome de no mínimo 5 ESCOLAS ESTADUAIS neste município construídas pelo governo do Pará.. ? Os gestores e professores sem condições de trabalho.. como também muitos omissos… É muito fácil jogar excrementos no ventilador… e fechar os olhos para os erros da SEDUC em todo o Pará.. desse modo a discussão é a universalização do acesso ao ENSINO SUPERIOR PUBLICO e DE QUALIDADE… que deve ser direito de TODOS e dever do GOVERNO FEDERAL de garantir isso…

  6. Anonimato Responder

    Enquanto parauapebas estiver com essa corja de vagabundos nao teremos..nem fucudade..nem agua…nem ruàs sem buracos..temos que tirar esse prefeito corrupto..que nao fazermos como fizemos com o collor..

  7. Clayton Santos Responder

    Caro prof. Marcos, outros estudantes querem ter outras profissões e certamente a ociosidade de vagas que há todo ano no campus da UFRA reflete o pensamento da maioria dos estudantes. Alguns podem não ter vocação para trabalhar com agropecuária.
    Agora o que deve ser feito é minar a venda de bebidas alcoolicas proximas as escolas, como o da Mahatman, pois isso influi e muito na prosmicuidade dos adolescentes, fazendo com que eles prefiram a “curtição” de uma bebida a ter uma “curtição” de ler um livro ou estudar.

  8. LIBERDADE Responder

    quero dar parabens ao professor marcos. em nosso pais fazem passeatas pra tudo, parada gay, liberação da maconha, movimento dos sem tetos, movimentos dos sem terra. passeatas por maus salarios. e por ai vai…..
    mas ninguem e capaz de organizar uma passeata pela corrupção que assola o brasil e parauapebas não esta de fora, so quem pode mudar esses politicos velhos na politica e esses jovem que vao as ruas pedir CAMPUS, diga não a reeleição de verador, prefeito, governador e presidente

  9. Professor Marcos Responder

    Uma pergunta que não quer calar: Será que está faltando vagas no ensino superior em Parauapebas? Pois até onde eu saiba os cursos da UFRA não preencheram as vagas por falta de alunos aprovados. Não quero dizer que o Campus da UNIFESSPA não seje importante para o nosso município, mas que precisamos também fazermos manifestações contra o sucatiamento das escolas públicas estaduais, pois nossos alunos ao invés de alcançarem níveis mais avançados em suas vidas através dos estudos, estão é se perdendo na promiscuidade e bebedeira (salvo poucos que conseguem se livrar destes maus).
    Então, cabe a todos nós cidadãos lutarmos contra o desmando dos governantes, devemos assumir a frente do processo governamental de nossa cidade, pois somos nós quem decidimos quem irá nos governar. Alunos lutem por melhores condições de aprendizagem e não apenas por campus!

  10. Clayton Santos Responder

    Parabéns pela iniciativa dos estudantes. Em nenhum momento eles podem parar com isso, tem de buscar seus direitos, apesar de atrapalhar o transito da cidade, mas a causa é louvável, pois o que eles buscam para hoje surtirá efeito futuramente na cidade, para nossos filhos e netos. Além disso, eles tem de lutar por melhores cursos, pois os que foram oferecidos para o campus não satisfazem a verdadeira vocação da cidade e de seus cidadãos, queremos cursos de renome. Qual estudante não quer ser advogado, engenheiro, médico, geologo etc??
    Quero participar do movimento postando minha assinatura no documento. Onde posso fazer isso?

    A LUTA MEUS CAROS E PODEM CONTAR COMIGO!!

  11. Raimundo Moura Responder

    É muito importante a iniciativa dos estudantes secundaristas em defesa de uma campus da UNIFESSPA aqui em Parauapebas, porém, junto a esta luta deve haver uma outra que é pela qualidade do ensino médio em nosso município, pois correm o risco do campus chegar em Parauapebas e os estudantes não serem aprovados no vestibular por falta de aulas, devido as inúmeras paralisações que acontecem nas escolas por falta de professores ou pelas péssimas condições em que os prédios do ensino médio se encontram.

Deixe seu comentário

Posts relacionados

%d blogueiros gostam disto: