Parauapebas lança contratação de ‘população’ de 4.500 caçambas

Número de caçambas estacionárias de que Semurb pretende registrar preços é maior que total de habitantes de mais de mil municípios. Secretaria defende “viabilidade econômica aos cofres”
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Se as 4.500 caçambas estacionárias que a Secretaria Municipal de Urbanismo (Semurb) de Parauapebas pretende contratar fossem seres humanos, ergueriam uma população maior que a de, pelo menos, 1.048 cidades brasileiras que, atualmente, não têm 4.500 habitantes, como Bannach, no sul do Pará, onde, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), residem 3.262 moradores.

De comparativo a realidade, a Semurb soltou licitação, na modalidade pregão eletrônico (veja aqui), com vistas à contratação de caçambas metálicas com capacidade para 5 mil metros cúbicos, a fim de atender ao “serviço de armazenamento e transporte de resíduos sólidos”. O custo estimado para o serviço é de R$ 1,594 milhão. A sessão virtual para apreciação das propostas comerciais está marcada para o próximo dia 27. Por se tratar de registro de preços, não quer dizer que as 4.500 caçambas serão contratadas todas ao mesmo tempo, de uma vez — embora o número indicado pela Semurb sugira que a necessidade, nessa quantidade, existe.

O governo municipal diz que os serviços deverão ser realizados nas áreas de difícil acesso ou em locais onde seja possível implementar o sistema conteinerizado, considerando a necessidade de aperfeiçoar a execução dos serviços de armazenamento de resíduos com o uso de caçambas estacionárias, que permitem vencer desafios urbanos e geográficos, desobstruindo os logradouros e vias públicas de Parauapebas.

Resíduos lançados clandestinamente

A Semurb observa que os resíduos sólidos de construção e demolição gerados pelos munícipes são responsáveis por grande impacto ambiental, sendo, frequentemente, dispostos de maneira clandestina em terrenos baldios e outras áreas públicas nos diversos pontos críticos na cidade de Parauapebas.

“A contratação dos serviços dará melhores condições à limpeza dos referidos pontos críticos, além de trazer viabilidade econômica aos cofres públicos”, justifica a pasta, adicionando que a contratação das caçambas também atenderá a demanda de coleta de resíduos produzidos nas feiras itinerantes, como embalagens, materiais orgânicos e entulhos, dos bairros Liberdade, Guanabara e Cidade Jardim.

Dados levantados pelo Blog do Zé Dudu mostram que o orçamento autorizado para custear ações de urbanismo em Parauapebas soma R$ 173,2 milhões, dos quais R$ 123,16 milhões já estão comprometidos com empenhos. O orçamento inicial, de R$ 128,44 milhões previstos na Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2021, acabou se tornando insuficiente e precisou ser esticado para suportar as despesas da Semurb.