Parauapebas: IML ainda não entrou em funcionamento

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

Apesar de anunciado para inaugurar ontem em Parauapebas o Instituto Médico Legal (IML), o motivo do atraso seria a falta de condições para entrar em operação o que impediu que a solenidade acontecesse. Ainda ontem pela manhã faltava até energia elétrica no prédio, instalação de climatizadores de ar, entre outros. Um dos principais equipamentos ainda não foi sequer adquirido, “a Câmara fria”, que serve para preservar os corpos até que a família ou amigos reconheçam e procedam com o sepultamento.

Segundo Guidoval Girard diretor do núcleo, na próxima semana o IML vai funcionar para exames de lesões corporais, conjunção carnal e necropsias, mas não quis afirmar o dia em que haverá a inauguração. (Blog do Laércio de Castro).

Nota do Blogger:

Estive lá dando uma olhada nas instalações. Tem razão os comentaristas que com muita propriedade disseram da importância daquela obra. Sou divulgador daquele ditado que diz: “pau que nasce torto, morre torto. Seria importantíssimo que os trabalhos daquela repartição começassem de maneira saudável e eficiente. A vinda do IML ( que me desculpe o Bruno) é um longo sonho dos moradores parauapebenses. Não só, mas principalmente, pelo fato de termos que transferir nossos cadáveres para serem examinados em Marabá, causando um tremendo desconforto aos familiares.   

Algumas coisas precisam ser colocadas: não sei quem é o “gênio” da administração parauapebense que toma certas decisões ( leia-se a reforma da praça Mahatma Gandhi, entre outras), mas, o local escolhido para ser instalado o IML é no mínimo inconveniente. O prédio dá de frente com uma escola infantil, alunos de 4,5, 6 anos terão que conviver com a entrada e saída de cadáveres. Não há uma instalação sanitária adequada para os procedimentos que ali serão realizados. O local é de difícil acesso em virtude da escola, que já congestiona o trânsito naquele local nos horários de entrada e saída das crianças. Enfim, são tantas as razões negativas que proponho que as autoridades responsáveis pelo projeto revejam a data da inauguração e busquem local mais apropriado, com instalações e equipamentos adequados, mesmo que isso leve mais algum tempo. Já estamos há anos solicitando essa repartição, não nos custa nada esperar mais uns meses, sabendo que esse atraso se deu em razão de melhoria na qualidade dos serviços.

[ad code=4 align=center]

Relacionados