Parauapebas e ICMBio selam cooperação técnica por uso sustentável de florestas

Medida publicada nesta sexta no Diário Oficial da União vai favorecer o apoio às ações de uso público nas unidades de conservação federais e, também, a agricultores familiares do entorno.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O governo do município de Parauapebas fechou uma parceria com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) para apoiar ações de extrativismo sustentável nas florestas da região. Nesta sexta-feira (21), um extrato do acordo de cooperação técnica celebrado no último dia 19 entre o prefeito Darci Lermen e o presidente do instituto, Homero de Giorge Cerqueira, foi publicado no Diário Oficial da União (DOU), conforme você pode conferir aqui.

A medida, que tem validade até 31 de dezembro de 2021, é importante porque a cooperação mútua vai favorecer o apoio a ações de uso público nas unidades de conservação federais existentes no município de Parauapebas, abrindo portas para o extrativismo sustentável, o ecoturismo, a educação ambiental e práticas de desenvolvimento socioambiental, além de garantir suporte agricultores familiares que residem no entorno das unidades.

Parauapebas é porta de entrada à Floresta Nacional de Carajás, uma das unidades de conservação de uso sustentável mais bem preservadas do país, rica em biodiversidade e exemplo clássico do potencial de sustentabilidade ambiental da região, com seus cerca de 3.700 quilômetros quadrados de floresta amazônica intactos.

A floresta também se estende por outros municípios da região, como Canaã dos Carajás e Marabá, mas é a partir de Parauapebas que sua fiscalização é feita. Famosa por ser um dos santuários de onças-pintadas mais bem protegidos do continente, o desafio na Flona de Carajás é fazer com que sua existência seja perpetuada e sua apropriação ecológica seja capaz de gerar riquezas aos milhares de habitantes que vivem nos arredores.