Pará se aproxima de 8 milhões 900 mil habitantes em 2022

Se crescimento entre censos de 2000 e 2010 fosse utilizado como recorte fiel para hoje, estado teria atualmente 9,25 milhões de moradores e cidades estariam mais populosas que estimativa
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Até que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) entre em campo, comece e termine o censo demográfico previsto para este ano, o que vale são as malfadadas e suspeitas estimativas e projeções feitas pelo próprio IBGE para indicar a quantidade de moradores Brasil adentro. E segundo o instituto, a população do Pará é de 8.861.974 habitantes este ano.

A informação foi levantada com exclusividade pelo Blog do Zé Dudu, que analisou um arsenal de pesquisas do órgão com a tábua de projeções da população brasileira e, também, dos estados. Nas contas do IBGE, já são 4.436.183 homens e 4.425.791 mulheres perambulando pelo Pará. No censo de 2010, foram encontrados no estado 7.581.051 paraenses.

Se as projeções do instituto baterem com o próximo censo, em 12 anos o segundo maior estado brasileiro terá recebido ou visto nascer 1.280.923 novos habitantes, o equivalente ao surgimento de cinco cidades do tamanho de Santarém. Porém, os números devem surpreender por conta de revisão de casos esdrúxulos ocorridos em 2010 e que se arrastaram ao longo das estimativas anuais, como a superpopulação atribuída incorretamente a São Félix do Xingu e, por outro lado, a subestimativa de municípios como Parauapebas, Canaã dos Carajás, Vitória do Xingu, Itaituba e Jacareacanga, os mais prejudicados pela falta de recenseamento geral.

Caso a lógica perspectiva numérica funcionasse em 2022 levando-se em consideração, à risca, os últimos dois censos demográficos (2000 e 2010), os municípios mais populosos do Pará seriam na atualidade Belém (1,529 milhão de habitantes), Ananindeua (566,1 mil), Santarém (333 mil), Marabá (312,4 mil), Parauapebas (252,7 mil), Castanhal (219,5 mil) e Abaetetuba (167,4 mil). Os menores seriam Bannach (3 mil habitantes), Pau D’Arco (4,7 mil), Faro (5,9 mil), Sapucaia (6,5 mil), São João da Ponta (6,7 mil), Santarém Novo (7 mil) e Brejo Grande do Araguaia (7,1 mil).

De certa maneira, todos eles aparecem como os mais e menos populosos do estado na estimativa oficial, porém com quantitativos muito diferentes do que seria mais próximo do real. Parauapebas, por exemplo, deve ter a população estimada pelo IBGE para 2020 em 224,1 mil habitantes, cerca de 30 mil a menos do que teria caso o parâmetro de projeção fosse outro.

Canaã dos Carajás, por seu turno, sofre com a discrepância mais absurda, já que, embora tenha atualmente quase 45 mil eleitores (42,5 mil deles biometrizados), só este ano o IBGE deve fazer a caridade de “dar” 40 mil habitantes ao município caso resolva divulgar estimativa populacional em julho, mesmo sendo ano censitário.

Bannach (3,2 mil) e Pau D’Arco (5,3 mil) seguem sendo os menos populosos, mesmo na estimativa mais conservadora do IBGE.

MUNICÍPIOS MAIS POPULOSOS DO PARÁ EM 2022

1º Belém — 1.513.375

2º Ananindeua — 545.401

3º Santarém — 310.246

4º Marabá — 291.892

5º Parauapebas — 224.134

6º Castanhal — 208.146

7º Abaetetuba — 161.833

8º Cametá — 142.301

9º São Félix do Xingu — 139.420

10º Marituba — 137.994

11º Barcarena — 131.700

12º Bragança — 131.361

13º Altamira — 118.707

14º Tucuruí — 118.103

15º Paragominas — 117.208

16º Tailândia — 114.207

17º Breves — 105.083

18º Itaituba — 101.690

19º Redenção — 87.109

20º Moju — 85.348

%d blogueiros gostam disto: