Pará pode receber novo Instituto Federal

MEC quer criar dez novos institutos em nove Estados
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Sede do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará, no bairro do Marco, em Belém (PA)

Continua depois da publicidade

Brasília – O ministro da Educação, Milton Ribeiro, anunciou o projeto de criar dez novos institutos federais (IFPA) em nove Estados do país. A proposta foi apresentada em reunião com reitores na quarta-feira (8), contudo, não prevê a ampliação do número de vagas nem de cursos. O Pará será contemplado com mais um Instituto Federal que se soma ao existente localizado em Belém (sede), instituição multicampi com unidades em: Abaetetuba, Altamira, Ananindeua, Bragança, Breves, Cametá, Castanhal, Conceição do Araguaia, Itaituba, Marabá (industrial e rural), Óbidos, Paragominas, Parauapebas, Santarém, Tucuruí e Vigia.

Atualmente, o país conta com 38 institutos federais, com mais de 800 mil alunos matriculados. Caso a proposta avance, os novos reitores poderão ser indicados pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e sem eleição entre as comunidades acadêmicas.

De acordo com a proposta, os novos institutos federais seriam distribuídos nos Estados do Pará, São Paulo, Paraná, Ceará, Maranhão, Bahia, Pernambuco, Piauí, Paraíba. São eles:

– Instituto Federal Paraense.

– Instituto Federal do Centro Paulista;

– Instituto Federal do Oeste Paulista;

– Instituto Federal Paranaense;

– Instituto Federal Cearense;

– Instituto Centro Sul do Maranhão;

– Instituto Federal do Sul da Bahia;

– Instituto Federal do Agreste de Pernambuco;

– Instituto Federal Piauiense;

– Instituto Federal do Sertão Paraíbano;

Diretrizes

As diretrizes apontadas pelo ministro são de distribuição das unidades segundo as regiões geográficas intermediárias do IBGE, aglutinação de regiões geográficas intermediárias fronteiriças, evitando descontinuidade territoriais e posicionamento das sedes em cidades populosas e com adequada infraestrutura urbana.

Ribeiro orienta ainda para a diminuição da distância entre as unidades e suas respectivas reitorias, otimização dos tempos de deslocamento e custos da gestão institucional e dos números de campi e de matrículas e a melhor distribuição populacional, educacional e econômica entre os institutos federais de um mesmo Estado.

O assunto foi discutido pelo ministro e por reitores em reunião preliminar no último dia 30 de agosto. Na ocasião, foi acordado um prazo de 20 dias para análise e discussão em suas respectivas comunidades internas.

Procurada, a pasta confirmou as informações e informou que “aguarda resposta das instituições para seguir com a avaliação técnica, que envolve preparação das justificativas e a consolidação da proposta do projeto de lei, que também incluirá os cargos e funções necessários”.

O ministério argumenta ainda que as grandes distâncias entre os campi e suas respectivas reitorias “podem gerar impasses no aprimoramento das atividades de ensino, pesquisa e extensão”.

“Tem-se observado que estruturas com mais de 15 campi e com distâncias superiores a 300 km de suas reitorias, têm onerado a organização administrativa da instituição, tendo em vista que demandam maiores tempo de deslocamento e permanência de servidores para reuniões administrativas e de colegiados”, diz.

A proposta, no entanto, não agradou parlamentares. Alguns deputados federais, por exemplo, protocolaram requerimentos na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados pedindo a convocação do ministro.

“Dá a entender que serão criadas novas reitorias, mas, na prática, não seriam criados campi, nem ampliado o número de vagas e cursos. Vão apenas dividir o que já existe, sem oferecer estrutura para isso. É uma mudança puramente para atender interesses do governo”, criticou o deputado Elias Vaz (PSB-GO).

A reportagem do Blog do Zé Dudu tentou ouvir os representantes da bancada paraense sobre o assunto, mas como o pedido de entrevista foi durante a tumultuada sessão de votação desta quinta-feira (9), alguns deputados pediram tempo para se inteirar melhor do assunto.

Institutos Federais

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará, mais conhecido como Instituto Federal do Pará (IFPA), é uma instituição pública federal brasileira, com sede em Belém, no estado do Pará, que compõe a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, vinculada diretamente ao Ministério da Educação.

Correspondendo-se como uma Universidade Federal, é uma instituição multicampi, especializada na oferta de educação nas diferentes modalidades de ensino, básico, profissional e superior, com base na conjugação de conhecimentos técnicos e tecnológicos às suas práticas pedagógicas.

Reportagem: Val-André Mutran – Correspondente do Blog do Zé Dudu em Brasília.