Pará lidera aumento de postos de trabalho no setor agropecuário na Região Norte

Os dados do Dieese, divulgados nesta quinta-feira (3), são referentes aos últimos 12 meses. O setor agropecuário registrou saldo positivo de mais de mil postos de trabalho só nos primeiros quatro meses de 2021
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) divulgou, nesta quinta-feira (3), um novo estudo que aponta o Pará com saldo positivo na geração de empregos no setor agropecuário na Região Norte do país. Esse resultado foi observado durante os quatro primeiros meses deste ano e também nos últimos 12 meses.

Os números mostram a liderança do estado na geração de vagas de emprego e perspectivas de crescimento das cadeias produtivas. De acordo com os números, no comparativo entre admitidos e desligados durante os quatro primeiros meses de 2021, o setor registrou 5.693 admissões, contra 4.634 desligamentos, gerando um saldo positivo de 1.059 postos de trabalhos.

No mesmo período do ano passado (Jan-Abr/2020), o agronegócio também apresentou resultado positivo de empregos formais, só que bem menor do verificado este ano. Foram feitas, naquela oportunidade, em todo o Pará, 3.167 admissões, contra 3.146 desligamentos, resultando 21 novos postos de trabalho.

De acordo com a análise do Dieese, esse resultado fez com que o Pará ganhasse destaque como o estado que mais gerou postos de trabalhos formais, nesse segmento, na Região Norte, seguido dos estados do Tocantins, com saldo positivo de 431 postos de trabalhos, e Rondônia, com saldo positivo de 122 vagas de emprego.

Na avaliação de Everton Costa, economista e técnico do Dieese, os dados demonstram não só a liderança do Pará na geração de vagas de empregos nesse segmento, como também apontam que o setor tem um espaço enorme de crescimento. “As cadeias produtivas estão sendo fortalecidas, como a produção de soja, milho e açaí. O agronegócio cresce a cada ano à medida que também melhoram a nossa estrutura, infraestrutura e logística. O escoamento dessa produção também tem sido facilitado e o Pará vem sendo destaque nós últimos anos pela estrutura que oferece como atrativo de investimentos para outros segmentos”, destaca Everton Costa.

O estudo também aponta que, no Pará, a agropecuária é um dos setores que apresentou uma trajetória positiva nos últimos 12 meses (Mai/2020-Abr/2021). Nesse período foram feitas, em todo o estado, 15.638 admissões, contra 12.695 desligamentos gerando saldo positivo de 2.943 postos, o melhor resultado de toda a região.

Segundo o titular da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), Alfredo Verdelho, as ações postas em práticas pelo governo estadual têm sido fundamentais para o crescimento na taxa de emprego dentro desse segmento, bem como no aumento da qualificação de trabalhadores. “Há um investimento maior nas ações da agricultura familiar e o implemento no escoamento da produção. O aumento da produtividade faz com que haja necessidade, por exemplo, de aquisição de novas máquinas e de mão-de-obra qualificada para o manuseio. O estado tem tomado diversas iniciativas, através da Sedap e Emater. Além disso, em parceria com o Sistema Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), tem fortalecido e incentivado a qualificação de profissionais que estão entrando no mercado agropecuário”, pontuou o secretário.

Tina DeBord

Publicidade