Pará

Pará é o estado que mais vai crescer em 2019, mostra estudo nacional

A injeção de investimentos reportada com exclusividade e atualidade aqui no Blog do Zé Dudu na semana passada (veja aqui) entrou no radar dos analistas econômicos do país. Esta semana, …

A injeção de investimentos reportada com exclusividade e atualidade aqui no Blog do Zé Dudu na semana passada (veja aqui) entrou no radar dos analistas econômicos do país. Esta semana, a Tendências Consultoria Integrada, uma das mais prestigiadas do país, divulgou o estudo inédito “Cenários Regionais 2019-2023” que mostra o que o Blog já havia destacado: o Pará tem tudo para crescer. E vai.

Na análise das 27 Unidades da Federação, o Pará se destaca com a perspectiva de maior crescimento econômico em 2019, superando o período pré-crise, em 2014, momento a partir do qual o Brasil enfrentou sua maior recessão. A estimativa da Tendências é de que o Produto Interno Bruto (PIB) paraense atinja 10,8%, mais que o dobro do segundo colocado, Roraima, que tem perspectiva de crescer 4,7%. Além do Pará e de Roraima, apenas quatro outros estados vão voltar aos trilhos do progresso econômico: Mato Grosso (3,5%), Santa Catarina (0,2%), Mato Grosso do Sul (0,1%) e Rondônia (0,1%).

O Brasil deve registrar retração no crescimento de 3% em relação ao período pré-crise. Isso não quer dizer necessariamente que o PIB do país não vá crescer; no entanto, deve aumentar num ritmo inferior ao que vinha mantendo há cinco anos atrás, por exemplo. Alagoas, com retração de 9%, Maranhão, com queda de 8,4%, e Sergipe, com diminuição de 8,3%, são os estados com as piores perspectivas econômicas.

Segredos do Pará

Na análise do economista da Tendências e responsável pelo levantamento, Adriano Pitoli, o crescimento econômico deve dar fôlego a estados como o Pará, a fim de que os novos governadores consigam se adequar à Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Também no caso específico do Pará, Pitoli joga na conta de seu avanço a maturação de projetos da mineradora multinacional Vale, como Salobo, em Marabá, que já vai enfrentar uma segunda expansão, e S11D, em Canaã dos Carajás, que está em franca expansão da capacidade produtiva, o chamado ramp-up (*). S11D também deverá ser alvo de ampliação de capacidade já no início da próxima década.

Todos esses fatores, mais uma avalanche de investimentos privados e estatais previstos e à espera de acontecer, devem tornar o Pará o maior canteiro de obras do país na próxima década, num período que também é coberto pelo recorte do estudo. Até 2023, se tudo caminhar bem, Marabá será a meca de arrastão de trabalhadores para o derrocamento de pedrais no Rio Tocantins, nos limites do município de Itupiranga, e, quem sabe, para uma nova hidrelétrica nacional e uma nova ferrovia para cortar o estado e escoar a produção. Todos esses investimentos devem sair dos cofres públicos.

Na parte privada, o mesmo município deve movimentar, diretamente, entre 3.500 e 4.000 trabalhadores para a expansão do projeto de cobre Salobo e, também quem sabe, para uma segunda ponte rodoferroviária sobre o Rio Tocantins — que deve tornar-se real como contrapartida pela renovação antecipada da concessão do uso da Estrada de Ferro Carajás (EFC), por onde a Vale escoa o melhor minério de ferro do mundo.

Outros empreendimentos na própria cercania de Marabá (em Parauapebas, em Canaã, em Curionópolis, em Água Azul do Norte) e no lado polarizado por Santarém, com destaque para projetos de logística graneleira, sojícolas e de mineração, também devem turbinar a economia paraense.

(*) – Ramp-up é um termo usado em economia e negócios para descrever um aumento na produção de uma empresa antes dos aumentos previstos na demanda por produtos.

2 comentários em “Pará é o estado que mais vai crescer em 2019, mostra estudo nacional

  1. Ana Elisa Brum Responder

    Ha muita coisa ainda a ser feita no PA e entre elas uma boa fiscalização pois na grande maioria do Estado manda am tem dinheiro…sonega-se, burla-se, corrompe-se e td mais pra poder sair na frente, pra dar um passo a mais …. acredito muito no potencial do PA porque participei de frente de colonização e hj vejo aquela região lutanto pra conseguir melhorias q só viriam c sua emancipação apesar de td seu crescimento…estou falando da região sudoeste do PA

  2. Luis Claudio Paixão dos Santos Responder

    Muito fácil falar no crescimento do PIB se de fato houvesse interesse do governo no bem estar do povo paraense ele revogados o decreto do ladrão temer que prorrogou o incentivo fiscal das empresas extratoras de minério do nosso estado para que se estas assim pagassem os royalties ao povo paraense ai sim teríamos aumento no PIB e deixaríamos de enviar sr graça para o governo chinês aproximadamente 28 quilos de Ouro gratuitamente todos os dias

Deixe seu comentário