Pará é contemplado com projeto de Educação Financeira para o Ensino Fundamental e Médio

Alinhar objetivos e metas que possam intensificar a aplicação da agenda da aprendizagem na rede pública de ensino estadual continua sendo uma das prioridades do governo.
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

Melhorias para a educação no Estado do Pará foram o foco da agenda do governador Helder Barbalho, em Brasília, nesta quarta-feira (6). Acompanhado da Secretária de Estado de Educação, o governador do Pará, Helder Barbalho, reuniu com representantes do Ministério da Economia, apresentando o plano de ação com vistas na manutenção de financiamentos internacionais; e do Banco Central do Brasil (Bacen), para a implantação de um projeto piloto de educação financeira que beneficiará 108 municípios.

Durante a manhã, os projetos educacionais realizados no Pará foram explanados pelo governador para o coordenador geral de Financiamentos Externos, Marcus Barreto, o subsecretário de Financiamento ao Desenvolvimento e Mercados Internacionais, Carlos Eduardo Lambert Costa e o secretário do Ministério de Economia, Erivaldo Gomes.

Com o propósito de dar continuidade ao financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) em 2020, o chefe do executivo do Pará apresentou as ações na área de educação, entre as quais o ‘Movimento Educa Pará’, lançado no mês de julho.

“Para nós, é um momento muito importante porque vamos dar prosseguimento à parceria com o BID que está em fase de execução final. A ideia é que no momento em que estamos encerrando a primeira parceria já iniciemos a segunda na ordem de R$ 200 milhões”, afirmou Helder Barbalho.

De acordo com a secretária Leila Freire, as ações estão alinhadas às estratégias federais e englobam eixos como modernização das políticas educacionais; incorporação de práticas inovadoras na gestão; e aperfeiçoamento dos servidores. “Priorizamos a qualidade da educação que perpassa também pela infraestrutura física das escolas atrelada aos recursos humanos. Trouxemos outros diferenciais, como o olhar amazônico para nossas práticas. É o caso das ‘Ecoparque Escolas’, que consideram a adequação do aprendizado dos alunos alinhada ao arranjo produtivo local em que estão inseridos, por exemplo”, explicou Leila.

Educação Financeira – Na parte da tarde, o Governo do Pará e o Banco Central pactuaram a implantação de um projeto piloto de educação financeira. O termo de cooperação técnica deve ser assinado até dezembro e não prevê repasse financeiro ou ônus para o estado. A Seduc disponibilizará os espaços de aprendizado enquanto que o Bacen entrará com o material e a formação dos educadores.

Dados do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) de 2017, disponibilizados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), apontam que apenas 11,9% dos estudantes do 5º ano do ensino fundamental alcançaram os níveis de aprendizagem adequada em português, e apenas 15,5%, em matemática – situação que se agrava no 9º ano, em que apenas 4,5% dos estudantes demonstraram níveis adequados de aprendizagem em matemática.

Tendo em vista a relação entre o ensino da matemática e o letramento financeiro, os baixos níveis de conhecimento matemático se constituem em um desafio adicional para a implementação da educação financeira como tema transversal. Para o Banco Central, a parceria tem o papel de garantir apoio institucional para a divulgação do Programa e a adesão de escolas. A parceria contempla desde a formação inicial de professores e diretores à avaliação de impacto, passando pela confecção de materiais específicos e aderentes à BNCC (Base Nacional Comum Curricular).

Com previsão de início no próximo ano letivo, a partir de fevereiro, o projeto beneficiará inicialmente 108 escolas públicas estaduais e municipais. “Entendemos que toda a rede pública de ensino precisa ser contemplada, não apenas a esfera estadual. O ‘Educa Pará’ é construído por laços colaborativos que envolvem o estado e municípios, em prol de uma educação com eficiência, eficácia e equidade”, ponderou a secretária.

O Programa será desenvolvido até 2022 com o alcance de cinco metas: realização de pesquisa com gestores escolares e professores; desenvolvimento de recursos educacionais; criação e manutenção da plataforma de gestão, monitoramento e desenvolvimento profissional; avaliação de aprendizagem e avaliação de impacto.

Educa Pará – O ‘Movimento Educa Pará: todos juntos pela garantia do direito de aprender’ foi lançado em julho. O projeto é desenvolvido por estado e municípios, governo, gestores e educadores para implementar a Agenda da Aprendizagem. A Seduc vem realizando encontros regionais para discutir e adotar estratégias pedagógicas que coloquem o aluno no centro do debate escolar; e lideranças escolares desenvolvam processos dinâmicos e inclusivos.

O Governo do Estado, por meio da Seduc, concentra esforços na reforma e ampliação de escolas em todo o Pará; contratação de novos professores; redirecionamento do transporte e da merenda escolar. O objetivo é garantir o suporte pedagógico e estrutura física para tornar a escola mais atrativa no processo de aprendizagem, para que estudantes se sintam motivados a concluir os estudos e ter mais oportunidades futuras no mercado de trabalho.

Fonte: Agência Pará

Publicidade

Relacionados