Pará

Pará criou mais de 15 mil empregos com carteira assinada em 2018

Marabá é o município do Pará que mais demitiu ao longo do ano passado. Na principal praça financeira do sudeste paraense, 830 trabalhadores perderam o emprego. Outras 53 localidades do estado também ficaram no vermelho.

O ano de 2018 vai ficar na lembrança para 15.286 trabalhadores que tiveram a sorte de se empregar no Pará. É que, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgado nesta quarta (23) pelo Ministério do Trabalho (MTb), esse volume de novos contratados é o melhor dos últimos cinco anos do estado, que acumulou entre 2015 e 2017 um recorde de 85.109 demitidos.

O Blog do Zé Dudu mergulhou nos números do Caged e constatou que o setor de serviços foi o mais próspero entre os geradores de emprego do Pará, com a criação de 10.781 empregos no ano encerrado. O setor de construção civil também reagiu e abriu 2.057 novas oportunidades — e só não foi melhor porque teve um dezembro péssimo. Também fecharam no azul os setores do comércio (979), indústria extrativa mineral (696), indústria de transformação (549) e agropecuária (281). Por outro lado, os serviços de utilidade pública registram 33 baixas na carteira e a administração pública, 24.

O resultado paraense só não foi melhor em 2018 porque no último mês do ano, dezembro, o mercado de trabalho fechou 6.850 postos, sendo que a construção civil encerrou quase 2.900 vínculos, a indústria de transformação encerrou cerca de 1.650, a agropecuária finalizou quase 1.100 contratos, número idêntico ao das baixas do setor de serviços.

Municípios

Marabá é o lugar que mais demitiu no Pará no decorrer de 2018. O Blog levantou que lá 830 trabalhadores perderam o emprego e que se tornou o 26º município do país em número de demissões. Em situação tão ruim quanto está o município de Oriximiná, no Baixo Amazonas, onde foram encerrados 742 contratos de trabalho. Outro que também demitiu centenas de trabalhadores é Marituba, na Grande Belém, com 556 desligamentos. Ao todo, 54 municípios paraenses apresentaram Caged negativo no acumulado dos 12 meses.

Por outro lado, Parauapebas (3.303 empregos), Barcarena (2.611), Vitória do Xingu (1.273), Castanhal (1.064) e Altamira (1.016) geraram tantos empregos que ultrapassaram a casa de mil postos. Confira o ranking dos melhores e piores desempenhos municipais que o Blog preparou.

Deixe seu comentário