Ourilândia do Norte: Operação Covid-19 realiza mutirão de atendimento na Aldeia Kayapó

A operação é realizada pelos ministérios da Defesa e da Saúde, envolvendo equipes da Marinha, Exército e Força Aérea Brasileira (FAB). A ação, denominada “Missão Kayapó”, que iniciou dia 17, segue até o próximo dia 24, com atendimentos nas aldeias da comunidade Kayapó

Continua depois da publicidade

As comunidades da Terra Indígena Kayapó no Polo Base de Ourilândia do Norte, no sudeste do Pará, está recebendo ação de saúde na Operação Covid-19 realizada pelos ministérios da Defesa (MD) e da Saúde (MS). A ação, que começou dia 17 e segue até o próximo dia 24, envolve equipes da Marinha, Exército e Força aérea Brasileira (FAB), que estão realizando atendimento e ações preventivas ao novo coronavíus e outras doenças.

A ação, denominada “Missão Kayapó”, conta com uma equipe de mais de 60 pessoas, sendo 26 profissionais de saúde nas áreas de pediatria, ginecologia e obstetrícia, clínica geral, médicos veterinários, enfermeiros e técnicos de enfermagem, de laboratório e de veterinária. A expectativa é atender mais de seis mil índios das aldeias Turedjam, Kikretum, Kokraimoro, Moikarako, Aukre, Kubenkrãnkrehn e Gorotire.

Mais de três toneladas de insumos foram levados à região por meio de aeronave da FAB. Segundo o secretário de Pessoal, Ensino, Saúde e Desporto do Ministério da Defesa, general Manoel Luiz Narvaz Pafiadache, a operação também irá atender diversas aldeias no Pará. “Vamos atender uma série de aldeias isoladas, que estão precisando do nosso apoio. É a segunda vez que voltamos ao Pará, uma vez que já estivemos em Tiriós, no noroeste do estado. O Ministério da Defesa e o Ministério da Saúde, por meio desta ação interministerial, cumprirão aquilo que nos determinamos, que é levar saúde, orientação, meios, insumos e medicamentos a comunidades indígenas aldeadas”, destacou o general.

O Coordenador Administrativo da Missão, Tenente-Coronel Klaus Raylen Tavares Rêgo, explica que além de levar saúde as comunidades isoladas e mitigar os impactos do novo coronavírus, o objetivo da operação fazer a orientação das comunidades para se prevenir contra doenças. “Nossa intenção nesta missão interministerial é atender o maior número de índios da etnia Kayapó no apoio à saúde e conscientização no enfrentamento à Covid-19” e outras doenças nas aldeias”, explicou o oficial.

Os militares da missão pernoitam, até o dia 24 de novembro, na Base em Ourilândia do Norte e se deslocam diariamente às aldeias, por meio de helicópteros e viaturas das três Forças. A Operação conta também com apoio da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), da Fundação Nacional do Índio (Funai) e do Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI).

(Tina Santos)