Parauapebas

Mistura de álcool e volante manda dois para o hospital e um para a DP

Muitas doses de bebida alcoólica, um carro, um motorista alcoolizado e uma estrada movimentada. Foram esses os ingredientes da indigesta receita que mandou para o Hospital Geral de Parauapebas, por volta das 9h30 deste sábado (28), o ciclista Milvan Seixas Nunes e o motociclista Cícero Weliton Silva Araújo. Quem fez a mistura foi o condutor Tiago da Silva Lima, 29 anos. Ele jura que não estava bêbado, diz que não ingeriu uma gota de álcool antes do acidente, mas, tanto os policiais que o removeram à Polícia Civil quanto o Repórter do Blog respiravam puro álcool quando ele abria boca para falar.

Tanto Milvan quanto Cícero trafegavam pela Rodovia PA-275, no perímetro urbano de Parauapebas, quando foram atirados fora da pista pelo automóvel Ford Fiesta placas HMY-1870/Parauapebas-PA, dirigido por Tiago Lima, que contou uma história sem o menor sentido para explicar o acidente que ele provocou.

De acordo com o motorista, ele seguia pela rodovia quando surgiram à frente uma carreta e duas bicicletas, das quais ele desviou, mas, logo apareceu à frente outra carreta que fechou uma moto: “Eu tentei tirar das bicicletas e aconteceu a colisão, bati no poste”, contou.

Informado de que duas pessoas foram parar no hospital por terem sido colhidas pelo carro que ele dirigia, Tiago Lima disse que os veículos menores é que se chocaram no carro dele e completou: “Tem várias câmeras ali, pode ver nas imagens se eu bati em alguém, bati foi no poste”.

O sargento F. Menezes e o cabo Gama, ambos da Polícia Militar, contaram que, quando chegaram ao local do acidente, Tiago Lima já havia sido detido pela população, visivelmente embriagado. Ele não reagiu à voz de prisão e se mostrou “bastante tranquilo”.

O sargento Constantino, do Corpo de Bombeiros, que, ao lado do também sargento Gilson e do soldado Eduardo, socorreu as vítimas, relatou que Cícero Araújo foi atirado barranco abaixo e, além de ter fraturado o punho esquerdo, queixava-se de muitas dores na coluna cervical. Ele foi removido pelo Resgate ao hospital, enquanto Milvan Nunes, com várias escoriações e dores pelo corpo, foi socorrido por uma ambulância do Samu. Quanto ao condutor Tiago Lima, até o início desta tarde seguida detido na 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil.

Paga o abstêmio pelo bebedor

De acordo com dados do Observatório Nacional de Segurança Viária, divulgados em dezembro de 2017, mensalmente acontecem no Brasil 3.900 mortes em acidentes de trânsito, o que perfaz 46.800 mortes por ano, 21% das quais – 9.828 – causadas por condutores alcoolizados.

O custo, para os cofres públicos, dessas mortes causadas pelo álcool ao volante e também de acidentados que sobrevivem, mas que ficam com sequelas, é de R$ 119,3 bilhões ao ano, segundo levantamento do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada), ANTP (Agência Nacional de Transportes Públicos), Ministério da Saúde e
OMS (Organização Mundial da Saúde). E, como os cofres públicos são abastecidos pelo contribuinte, até quem só toma água paga pela conta de quem dirige alcoolizado.

Reportagem: Ronaldo Modesto

Um comentário em “Mistura de álcool e volante manda dois para o hospital e um para a DP

  1. Clayton Rodrigues Responder

    Não tem relevância, mas o carro é um Fiat Palio Fire Economy Cor: Prata – Ano: 2010. Acho que não era só o motorista do veículo que se encontrava sob efeito de álcool… Kkk!

Deixe seu comentário