Ministério inclui 108 empregadores na lista do trabalho escravo. A lista agora conta com 579 empregadores, 26,08% deles do Pará.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

imageO Ministério do Trabalho divulgou nesta segunda-feira (30) a lista semestral de empregadores envolvidos em trabalho escravo. O documento incluiu 108 nomes e outros dois foram reincluídos por decisão judicial. A atualização excluiu 17 nomes que cumpriram requisitos administrativos. A lista pode ser acessada no site do ministério.

A lista tem 579 empregadores (pessoa física ou jurídica) flagrados ao submeter trabalhadores a condições análogas à escravidão. O empregador é retirado da lista se, durante dois anos, não reincidir na prática, além de pagar as multas aplicadas.

O Pará tem o maior número de aparências no documento (26,08%), seguido por Mato Grosso (com 11,23%), Goiás (com 8,46%) e Minas Gerais (com 8,12%).

Fonte: Terra