“Mineração Por Elas”, novo episódio destaca trajetória de mulheres negras na Vale

Websérie traz história de três mulheres, duas delas de Canaã, que se tornaram inspiração para outras mulheres dentro e fora da empresa.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Estreou nesta terça-feira, 31 de agosto, o segundo episódio da nova temporada de Mineração Por Elas, websérie que mostra a bem-sucedida presença de mulheres em áreas técnicas, operacionais e de gestão na Vale. A segunda temporada tem como fio condutor a diversidade de forma ampla. O episódio recém-lançado traz a história de três mulheres negras que sentem orgulho por serem exemplo e inspiração para outras mulheres de dentro e de fora da empresa.

No filme, que já está nas redes sociais e plataformas digitais da Vale, o público poderá conhecer Stephanie Almeida, geóloga, e Amanda Lírio, engenheira de minas, que atuam na unidade Carajás Serra Sul (Complexo S11D), em Canaã dos Carajás, no Pará; e Josiany Nunes, técnica em segurança do trabalho na Unidade Tubarão, no Espírito Santo.

Para a marabaense Stephanie Almeida, participar da websérie foi uma experiência fantástica. “Estar nesse projeto e poder incentivar outras mulheres a ocuparem mais espaço na mineração, mostrando com inúmeros estudos de caso que é possível sim, independente do cargo, foi gratificante. Não contive as lágrimas de tanta emoção por representar não só as mulheres como todo, mas principalmente a mulher preta que, segundo as estatísticas ainda ocupam minoria dos grandes cargos”, destaca.

Já Amanda Lírio destaca a importância de ter e ocupar o lugar de fala. “ É muito importante que mais e mais mulheres pretas se sintam encorajadas a ocuparem os espaços que um dia elas pensaram que não poderiam. Essa foi a minha motivação de participar desse episódio. Foi muito especial contribuir para que essas meninas e mulheres enxerguem que a Vale tem um compromisso em criar um ambiente onde elas podem ir lá e fazer o que tiverem vontade de fazer, inclusive trabalhar em uma carreira de alto nível técnico ou de gestão”.

O episódio de estreia da temporada, que foi ao ar no dia 6 de agosto, traz mulheres pioneiras que falam sobre os desafios que viveram ao serem as primeiras na sua área ou função. Os episódios seguintes abordarão diversidade de orientação sexual, além de mostrar histórias de pessoas com deficiência, jovens talentos e lideranças. Cada filme dura cerca de cinco minutos e traz, em formato documental e com protagonismo das personagens, o olhar de empregadas da Vale de várias regiões do Brasil e de outros países sobre a diversidade na mineração.

“Estamos verdadeiramente empenhados em promover a inclusão e valorizar a diversidade. Seguiremos nessa jornada, juntos. Estes são imperativos éticos conectados com o propósito da Vale de melhorar a vida das pessoas e transformar a sociedade para todas as pessoas”, afirma Marina Quental, vice-presidente executiva de Pessoas da Vale. Segundo ela, a websérie mostra para o público a inserção diversificada das mulheres na Vale nos mais variados cargos, profissões e funções, trazendo inspiração para que outras mulheres vejam que é possível e promissor construir uma carreira na indústria da mineração.

Participar da websérie

Mais de 200 mulheres compartilharam suas experiências de vida e se inscreveram para participar da 2ª temporada do Mineração Por Elas. Por conta do limite de episódios, muitas histórias incríveis ficaram de fora, demonstrando que a mineração também é, cada vez mais, uma indústria onde mulheres podem construir carreira. Assim como a temporada de estreia, a produção vem seguindo todas as recomendações de prevenção e distanciamento social em virtude da pandemia. Quase todas as imagens tiveram captação remota e, muitas vezes, foram filmadas pelas próprias personagens. A websérie Mineração por Elas é realizada pela equipe de comunicação da Vale em parceria com a 4 Asas Produções. A primeira temporada contou com seis episódios e participação de 25 empregadas da Vale no Brasil e em outros países.

Meta de gênero e avanços

Em 2019, a mineradora anunciou a meta de dobrar a representatividade de mulheres na sua força de trabalho até 2030, passando de 13% para 26%. E de aumentar a presença de mulheres em cargos de liderança sênior de 12% para 20%. Em julho deste ano as mulheres já representavam 18,3% nas posições de liderança sênior e 18,1% do total da força de trabalho da Vale. Entre dezembro 2019 e julho 2021 crescemos em 3.800 o número de mulheres na Vale.

Com informações da Vale