Marabá: Final de semana teve tiros, facadas e morte

Assassinato e tiros no Núcleo São Félix, além de esfaqueamento na Santa Rosa. Assim foi o final de semana em Marabá, em plena pandemia
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O final de semana foi de muita confusão em Marabá: tapas, facadas e tiros tomaram conta das ocorrências policiais. Por incrível que pareça, o caso mais grave é o que se tem menos informações até o momento. Trata-se do homicídio de Ian Vitor Conceição, de 17 anos, que faleceu no Hospital Municipal de Marabá (HMM), vítima de uma facada, ontem (14). Mas até agora o que se sabe é que ele morava no bairro São Félix e não há detalhes sobre a sua morte.

Outro caso de facada, que felizmente não resultou em morte ocorreu por volta das 11 horas de sábado (13), no Bairro Santa Rosa, Velha Marabá, mais precisamente na Rua São Pedro, para onde uma ambulância do SAMU foi acionada para socorrer o jovem Adriano de Sousa Ferreira (vulgo “Neguinho”), vítima de facadas. Junto com a ambulância foi uma viatura policial, que conseguiu prender o autor dos golpes, Isaac Guajajara.

Segundo a Polícia Militar, no momento em que “Neguinho” era atendido, uma multidão corria em direção ao campo de futebol “Del Cobra”, que fica naquele mesmo bairro. A turba estava perseguindo Isaac, autor das facadas e ele não teve para onde correr, porque de um lado estavam os amigos e conhecidos da vítima e do outro a Polícia Militar. Isaac se entregou.

Apresentado na Delegacia de Polícia Civil, Isaac confessou a tentativa de homicídio. Ele detalhou aos policiais que teve uma discussão com “Neguinho”, que lhe deu um tapa no rosto. Diante disso, Isaac foi em casa, armou-se uma faca e quando voltou encontrou seu algozo no mesmo lugar e não contou conversa: meteu-lhe a faca e fugiu. Enquanto isso, a vítima foi operada e segue internada no HMM.

Tiros

Na noite de ontem (14), por voltas das 22 horas, três guarnições da Polícia Militar foram acionadas a respeito de disparos de arma de fogo no Residencial Magalhães, Núcleo São Félix, em meio a uma grande confusão, envolvendo várias pessoas, todas elas brigando pela posse de uma casa que fica no residencial.

Ao fazer rondas na área, foi avistada uma caminhonete com algumas pessoas dentro. Foi dada a ordem de parada e feitas buscas no veículo. Foram encontrados nada menos de quatro munições calibre 28, dois facões, duas facas e um pé de cabra.

Ao indagar um dos suspeitos, este informou que eles eram vítimas e tinham tomado duas espingardas de outro grupo, que teria sido justamente quem chamou a polícia para denunciar a confusão.

A guarnições fizeram diligências e encontraram as outras pessoas envolvidas na confusão, que se diziam vítimas. Ao todo, foram apresentados os acusados: Diego Alves, Jose Paulo Maurício, Jakson Silva de Sousa, José Nascimento dos Santos e Alexon dos Santos Bonfim.

Publicidade